arrow Voltar

M&A’s no mercado de HRTech: Ahgora anuncia aquisição da WebTraining

O mercado de HRTechs no Brasil está se aquecendo: só esse ano, foram mais de US$ 1,6 bilhão de dólares investidos em startups de HR no Brasil. Hoje, Ahgora entra em campo para somar as estatísticas: a startup acaba de anunciar a aquisição total da WebTraining, plataforma de educação corporativa. O investimento total foi superior […]

27 de setembro de 2021 4 min de leitura
time

Artigo atualizado 27 de setembro de 2021

O mercado de HRTechs no Brasil está se aquecendo: só esse ano, foram mais de US$ 1,6 bilhão de dólares investidos em startups de HR no Brasil. Hoje, Ahgora entra em campo para somar as estatísticas: a startup acaba de anunciar a aquisição total da WebTraining, plataforma de educação corporativa. O investimento total foi superior a R$ 10 milhões.

A Ahgora, que já é consolidada como líder no Brasil no segmento de Gestão de Jornada, realizou o investimento pensando em expandir sua atuação e se consolidar na área de Human Capital Management (HCM), atingindo mercados de treinamento de colaboradores, educação e benefícios. Segundo Lázaro Malta, CEO da Ahgora, “O mercado brasileiro carece de educação do colaborador. Nesse sentido, acreditamos que as empresas podem colaborar muito com a educação, seja ela por treinamentos que visam a saúde financeira como por treinamentos corporativos, e sentimos a necessidade de trazer isso para o nosso ecossistema, aumentando sua eficiência operacional com a aquisição da WebTraining”

A aquisição da startup também irá fortalecer o setor de saúde financeira da empresa, que atualmente é encabeçado pela Ahfin —  fintech  com foco em saúde financeira para colaboradores que já faz parte do grupo. Juntos, eles se consolidarão como HRTech que atende às principais necessidades do setor de recursos humanos, como recrutamento, treinamento, folha de pagamento, remuneração, ponto, férias, escalas de trabalho e gerenciamento de desempenho. 

Com a união das empresas, a Ahgora que já contava com clientes como LG, Samsung passa também a atender Ambev, Itaú, Suzano e Pernambucanas. A expectativa é de que essa não seja a única aquisição neste ano, já que os planos são de investir mais R$ 30 milhões em deals desse tipo em startups do ecossistema de HRTech.

Em entrevista exclusiva ao Distrito, o time da Ahgora — Lázaro Malta, CEO da Ahgora, e Gustavo Godoy, CFO da Ahgora e diretor da Ahfin —, respondeu questões sobre o futuro do setor de HRTech e como a empresa está buscando se manter à frente dessas tendências.

Como foi identificado o potencial da WebTraining para aquisição?

Lázaro:

Nós acreditamos muito na transformação do RH, fazendo com que a área deixe de ser apenas um acessório necessário nas empresas e passe a ser protagonista para atuar de forma totalmente estratégica para as organizações. E como nós podemos ajudar neste cenário, tornando as empresas mais eficientes e competitivas? Com educação para os colaboradores. Assim, aumenta-se o potencial do seu principal capital: as pessoas. 

Toda educação é muito valiosa e sentimos a necessidade de trazer isso para o nosso ecossistema, aumentando sua eficiência operacional com a aquisição da WebTraining, que soma mais de 20 anos de experiência nesse segmento. 

Para ajudar a Ahgora a alavancar sua presença neste mercado de educação corporativa, a WebTraining vem para somar, trazendo um diferencial para o nosso negócio como um todo. O ecossistema Ahgora já está composto por tecnologias de RH, ou HR Tech, e o conceito de benefícios financeiros com a Ahfin, criando uma roda acelerada com uma fintech e uma HR tech com tecnologias voltadas para as pessoas. A WebTraining vem para darmos mais um passo na consolidação deste ecossistema. 

Como as tecnologias da Ahgora facilitam o trabalho do departamento de RH das empresas?

Lázaro:

As tecnologias da Ahgora são capazes de gerar dados e informações que antes tinham de ser calculados manualmente – muitas vezes não era nem possível criar indicadores sem a tecnologia, por falta de tempo que estas funções demandam. Com o uso dos softwares, parte do tempo que o RH investia para levantar estes dados e indicadores e fazer cálculos, agora está disponível para dedicarem-se ao mais importante: as pessoas. São elas que alavancam os negócios, então é necessário entendê-las e dedicar tempo a isso.

Na Ahgora entregamos dashboards com informações em tempo real e isso também é relevante, pois traz informações precisas. Com o acesso ao que acontece “agora”, o RH pode mudar os resultados e passar a tomar ações que engajem talentos e evitem excessos de pagamentos de folha, como horas extras por exemplo. Além de criar jornadas e escalas sem falhas, evitando processo trabalhista e poder gerir suas OKRs e 1-1 em tempo real, o que garante uma gestão qualificada e ativa. 

Quais os próximos passos da Ahgora dentro do ecossistema de HRTech? Há planos para expansão internacional?

Gustavo:

A Ahgora já mapeou e está trabalhando na internacionalização dos seus negócios. O processo ocorreria em um prazo mais extenso, mas a pandemia acabou mudando os planos e fazendo com que essa meta fosse adiantada. 

Com a aceleração do trabalho  em formato home office e a maior gestão multisites a demanda pelos nossos serviços cresceu muito, não só no Brasil mas em todos os países. Então, os produtos da Ahgora ficaram extremamente competitivos a nível global. E a partir do momento em que já possuíamos parceiros internacionais, essa questão da expansão para outros países foi um caminho natural, que acabou acelerando esse movimento iniciado no final de 2020. Nossa meta é que essa internacionalização seja responsável por 20% a 30% da receita da Ahgora no intervalo de três a cinco anos.

A aquisição da WebTraining e entrada no ecossistema Ahgora não deve ser a única aquisição da empresa neste ano. O objetivo é investir, com recursos próprios, mais de R$30 milhões na aquisição de novas empresas nos próximos meses para ampliar o escopo de atuação. Também há expectativa para internacionalização da operação com negociações envolvendo companhias da América Latina e Estados Unidos. Para isso, a Ahgora já adaptou seus softwares para outros idiomas, como inglês e espanhol, e o próximo passo é se adequar às legislações trabalhistas e financeiras de cada país. 

Quais são suas expectativas e previsões para o futuro do mercado de HRTech no Brasil? E como a Ahgora está se preparando para essas tendências?

Lázaro:

O conceito central quando falamos sobre o mercado de HR Tech no Brasil é a transformação digital pautada na evolução do cloud e a possibilidade de termos informações em tempo real. A partir disso foi possível obter dados para tomadas de decisões estratégicas por parte dos profissionais de RH, que caminham cada vez mais rumo a um papel de protagonismo dentro das empresas. Acompanhando essas tendências, a Ahgora está criando seu ecossistema de startups, buscando entregar os melhores produtos e serviços de RH para as empresas, que já somam mais de 4 mil em seu portfólio. 

Gustavo:

Como previsão para o mercado HR Tech no Brasil, acreditamos em um aumento no destaque dos players de HCM (Human Capital Management) no país. O mercado de HCM no Brasil ainda está aquém quando comparamos com esse setor em países como os Estados Unidos. Porém, estamos otimistas com essa evolução da qual temos orgulho de fazer parte no Brasil. A Ahgora, como uma HR Tech e Fintech, está fomentando esse mercado ao trazer mais vidas para esse ecossistema que já conta com mais de 1 milhão de vidas.

Posts recomendados

Acesse o blog arrow