arrow Voltar

Foodtech: o que é, qual o impacto e tendências do setor

As foodtechs estão revolucionando o setor de alimentos

5 de abril de 2022 7 min de leitura
time

Artigo atualizado 5 de abril de 2022

As foodtechs estão revolucionando o setor de alimentos

A inovação e novas tecnologias transformam o mundo todos os dias. Enquanto sociedade, nos desenvolvemos em direção a um ambiente não sustentável quando o assunto é a alimentação. Neste cenário, empresas com foco em tecnologia de alimento surgem para driblar a obsolescência no setor e compreender como os avanços tecnológicos se inserem no mundo da alimentação hoje.

Toda vez que uma pessoa passa fome, nossa sociedade morre. Toda vez que uma startup morre, o nosso modelo social também sofre. O que esses dois problemas tem em comum? O acúmulo de riqueza. 

Outcast Ventures e o Distrito se uniram para construir o Foodtech 2022, um relatório que mapeia as tecnologias no setor de alimentos, suas principais categorias, tendências e impactos.



O que são foodtechs?

O termo foodtech é formado pela  junção de duas palavras do inglês, food (comida) e tech (tecnologia), assim a palavra é destinada para designar as empresas que utilizam ideias inovadoras e disruptivas para transformar a forma como os alimentos são produzidos, distribuídos e consumidos. As foodtechs em pouco tempo ganharam muita relevância para o setor de alimentação e a pandemia fez com que o setor fosse amplamente conhecido por suas startups de delivery e logística, porém o setor vai muito além desta subcategoria e promete se desenvolver ainda mais ao longo dos próximos anos.

A importância da tecnologia de alimentos

Um dos elementos que está fortemente associado às foodtechs é a Tecnologia de Alimentos. Apesar de este parecer ser um termo associado ao mundo moderno, sua prática é muito antiga e remete ao momento em que o ser humano iniciou a utilização de técnicas para conservação de alimentos. Nesse sentido, o processo de salgar alimentos para conservá-lo por meio da eliminação de sua água já se enquadrado como Tecnologia de Alimentos.

Atualmente, existem diversas técnicas que são reflexos da maneira como os alimentos são consumidos e produzidos e também dos avanços da ciência e tecnologia. Criação de alimentos e nutrientes sintéticos, utilização de irradiação para esterilização e embalagens a vácuo e assépticas são alguns exemplos que podem ser amplamente vistos no dia a dia.

Com o crescimento da população mundial e a superexploração dos recursos naturais, a capacidade de usufruir dos recursos com maior eficiência representa um grande poder, dado que a escassez de alimentos e recursos naturais se mostra como um problema para o futuro da humanidade. Além disso, ainda existem questões associadas ao acesso e distribuição de alimentos. Isto posto, a Tecnologia de Alimentos mostra-se como uma ferramenta fundamental para as foodtechs e corporações que desejam se posicionar frente ao mercado.

Alimentação e sustentabilidade

O sistema alimentar, que é composto pelo consumo, a produção e o desperdício, hoje está associado a diversos problemas ambientais, como a degradação de solos, perda da biodiversidade, poluição do ar, águas e solo e outros. A ONG World Wide Fund for Nature (WWF) mostra que indústria em questão utiliza 34% do solo, 69% da água dos rios disponíveis e é responsável por aproximadamente um quarto das emissões de gases do efeito estufa, enquanto isso um terço de todos alimentos produzidos é desperdiçado.

Estes fatos se tornam mais alarmantes pelo fato de que a maioria dos indivíduos não possuem ciência acerca destes impactos. No dia 16 de outubro – Dia Mundial da Alimentação – a WWF divulgou uma pesquisa que mostrava que 91% das pessoas não reconhecem que a produção e consumo de alimentos é a principal ameaça ao meio ambiente.

Torna-se evidente que a maneira como o ser humano se relaciona com os alimentos deve ser modificada, caso contrário é provável que o caminho que está sendo trilhado atinja um ponto sem retorno. Dessa maneira, a utilização e desenvolvimento de tecnologias que propiciem uma melhora nesse relacionamento são fundamentais para o futuro da humanidade, possibilitando com que não apenas problemas ambientais sejam solucionados, mas também problemas sociais.

Quais são as categorias de foodtechs

Com o desenvolvimento do setor, foram criados sete diferentes categorias para a classificação das foodtechs, entre elas: 

  1. Super Foods & CPG
  2. Food Delivery & Logistics
  3. Smart Kitchen & Restaurant Tech
  4. Farm to table
  5. Food Safety & Traceability
  6. Consumer Apps & Services
  7. Waste Management

A seguir será apresentado brevemente cada uma das categorias com suas respectivas subcategorias. O número apresentado entre parênteses ao lado de cada uma das subcategorias representa a quantidade de startups ativas para aquele grupo no Brasil. Abaixo também serão citadas algumas empresas que atuam em cada um dos ramos.

Super Foods & CPG

Uso de tecnologia para a criação de novas categorias de alimentos e bebidas, por vezes associadas ao uso de matéria prima alternativa para se chegar a um novo produto para a indústria de alimentos.

A categoria está dividida em cinco subcategorias, entre elas:

  1. Clean Label (45): Alimentos produzidos com menos aditivos químicos ou que utilizam matérias primas mais naturais.
  • Greenpeople
  • Roots To Go
  • BR Spices
  1. Plant Based (32): Alimentos produzidos em laboratórios através da extração de proteínas e/ou laticínios alternativos, obtidas de verduras, legumes ou grãos.
  • Fazenda Futuro
  • A Tal da Castanha
  • Nude.
  1. Alimentos e Bebidas Funcionais (15): Alimentos que oferecem benefícios além da nutrição, reduzindo riscos à saúde.
  • Desinchá
  • Mais Mu
  • Celivita
  1. Suplementação Alimentar (6): Complemento alimentar para pessoas saudáveis que buscam fontes alternativas de vitaminas.
  • Ocean Drop
  • BioLogicus
  • Bio in Food
  1. Alimentos à base de Insetos (1): Alimentos produzidos utilizando insetos como matéria prima para sua fabricação.
  • Hakkuna

Food delivery & Logistics

Serviço de entrega de alimentos diretamente para o consumidor final, inclui também todos os novos intermediários e ferramentas utilizados para que o processo seja feito de uma maneira mais rápida e segura. 

A categoria está dividida em cinco subcategorias, entre elas:

  1. Delivery de Mercado (27): Soluções que entregam compras de mercados.
  • Favo
  • Daki
  • Shopper
  1. Marketplace de Delivery (22): Soluções que entregam refeições prontas ou congeladas.
  • iFood
  • 99 Food
  • James
  1. Delivery de Comida (21): Plataformas que intermediam a demanda e a entrega de alimentação entre consumidores e estabelecimentos.
  • Liv Up
  • Gourmetizinho
  • Apptite
  1. Kits de Receita (4): Serviço de entrega de ingredientes para que o consumidor faça sua própria refeição.
  • Cozinhe.me
  • Kookin
  • Kuke
  1. Dark/Ghost Kitchens (1): Cozinhas industriais próximas a centros urbanos que facilitam a entrega last mile.
  • Eatopia

Smart Kitchen e Restaurant Tech

Aplicações usadas para melhor gestão dos processos internos e aumento de eficiência de uma cozinha, inclui também aplicações usadas pelo consumidor final para melhor interação no food service.

A categoria está dividida em quatro subcategorias, entre elas:

  1. Software de gestão de restaurantes (45): Sistemas que auxiliam a gestão de restaurantes, financeira e contábil.
  • Get In
  • SmartMenu
  • ControleNaMão
  1. Auto atendimento e cardápio online (8): Soluções que agilizam os processos no food service.
  • Menu Digital
  • MenuQR
  • Goomer
  1. Bar Tech (4): Maquinário que aumenta a eficiência da cozinha industrial.
  • Beerpass
  • Beer Mine
  • ChoppUP
  1. IOT para equipamentos e utensílios (1): Soluções para bares e restaurantes focados em bebidas.
  • Bionicook

Farm to table

Movimento que tem como objetivo aproximar o produtor do consumidor, diminuindo a

quantidade de intermediários no processo e aumentando a eficiência da cadeia de suprimentos.

A categoria está dividida em quatro subcategorias, entre elas:

  1. Do produtor ao consumidor (24): Soluções que entregam alimentos da fazenda para a casa do consumidor.
  • Caixa
  • Raízs
  • Orgânicos in Box
  1. Fazenda urbana (8): Espaços próximos a centros urbanos reservados para a plantação de verduras e legumes.
  • BeGreen
  • Fazenda Cubo
  • Minhorta
  1. Fazenda Vertical (4): Prédios estufas desenhados com tecnologia que permitem que o modelo de fazenda ganhe escala nos centros urbanos.
  • Aguapé
  • Pink Farms
  • Mighty Greens
  1. Gestão para produtores (4): Sistemas que auxiliam a gestão de produtores rurais, financeira e contábil.
  • Checkplant
  • Gestor Orgânico
  • Tiffin Foods

Food Safety e Traceability

Soluções tecnológicas usadas para aumentar a vida útil dos alimentos e identificar quando não estão mais próprios para o consumo, nessa categoria vemos também soluções para rastreabilidade na cadeia de suprimentos.

A categoria está dividida em três subcategorias, entre elas:

  1. Gestão da cadeia de abastecimento (14): Soluções que auxiliam na logística e cadeia de suprimentos de mercados.
  • GELB
  • Zaitt
  • Pantore
  1. Monitoramento de qualidade (9): Ferramentas que auxiliam o consumidor final a consultar a qualidade de produtos em mercados.
  • Bionexus
  • Alérgicos Contém
  • Brazil Beef Quality
  1. Rastreabilidade (6): Soluções de rastreamento da cadeia de suprimentos de alimentos.
  • Safe Trace
  • Ecotrace
  • AgTrace

Customer Apps e Services

Aplicativos que facilitam o acesso à informação sobre melhores formas de alimentação, nutrição, incluem também aplicações que ajudam os usuários a encontrar e compartilhar informações sobre restaurantes.

A categoria está dividida em quatro subcategorias, entre elas:

  1. Food Services (11): Aplicações que melhoram a experiência dos consumidores que frequentam estabelecimentos para se alimentarem fora de casa.
  • AliceGO
  • Chefs Club
  • The Coffee
  1. Apps de nutrição (4): Aplicações que ajudam o consumidor final a organizar sua alimentação de forma personalizada.
  • NutriSoft Brazil
  • n2b Nutrição Empresarial
  • EasyDiet
  1. Apps de Receita (3): Aplicações que ajudam o consumidor final a encontrar novos pratos e executá-los em casa.
  • DeliRec
  • Home Chefs
  • YouChef
  1. Serviços de Chef em casa (1): Serviço de personal chef na comodidade do lar.
  • Le Chef

Waste Management

Soluções em forma de produtos, novos processos e aplicações que ajudam a reduzir o desperdício de alimentos, redistribuindo ele para consumo através de conexão com outros agentes da cadeia.

A categoria está dividida em duas subcategorias, entre elas:

  1. Gestão de alimentos para consumo (10): Soluções que conectam alimentos próximos ao vencimento ou que seriam desperdiçados com novos consumidores.
  • Fruta Imperfeita
  • Food Finder
  • Comida Invisível
  1. Embalagens Biodegradáveis (7): Materiais inovadores feitos em laboratórios ou com novas formas de produção que substituem as embalagens tradicionais.
  • OKA Bioembalagens
  • Ecooler
  • Protect Mais

Cenário brasileiro e mundial de foodtechs

Ao analisar o cenário mundial do Foodtech torna-se visível o seu crescimento nos últimos anos. Em relação ao volume de investimento, desde 2016 o setor apresentou pequenas retrações apenas nos anos de 2019 e 2021, porém o crescimento nos outros anos foi bem acentuado e ele pode ser verificado pela taxa média de crescimento de 28% ao ano no período (2016-2021).

No Brasil o cenário foi ainda mais positivo, o mesmo período apresentou uma taxa de 64,69%, contudo é interessante notar que ocorreram dois grandes picos de investimento em 2018 e 2021 que apresentaram o valor de US$ 514,4 M e US$ 386,5 M, respectivamente, enquanto nos outros anos o volume de investimento não chegou a alcançar a marca de US$ 60M. O ano de 2018 pode ser explicado pelo mega round que o iFood recebeu, enquanto 2021 marcou a retomada do crescimento após a pandemia e outro mega round que dessa vez foi recebido pela Daki. 

Já no que tange ao destino desses investimentos, a categoria de Food Delivery & Logistics se destaca por ter recebido 84,7% do valor, o qual foi distribuído entre suas subcategorias, de modo que Marketplace de delivery recebeu 55,3%, Delivery de mercado recebeu 20,9% e Delivery de comida recebeu 8,5%. As outras duas categorias que mais receberam foram Super Foods & CPG com 8,1 e Consumer Apps & Services com 3,1%.

Por último, o número de unicórnios ao redor do mundo já soma 56 empresas, sendo que os Estados Unidos e China se destacam por terem 22 e 15, respectivamente. A categoria que mais se destaca novamente é a de Food Delivery & Logistics com 30 empresas, seguida pela Future of Food com 8 e Consumer Services com 7. Hoje o ecossistema LaTam possui três, iFood do Brasil, Rappi da Colômbia e NotCo do Chile.

Leia também: Confira a lista completa de unicórnios brasileiros

Em vista do mencionado, é visível que o setor de Foodtech passou por um grande processo de amadurecimento, mas se comparado com outras grandes verticais ele ainda possui um longo caminho a percorrer. Nesse cenário, é esperado que este comportamento de crescimento perdure para os próximos anos e que as foodtechs atuem como protagonistas nas transformações do setor de A&B. Para o futuro são apontadas principais quatro tendências, entre elas:

  1. Nutrição personalizada;
  2. Transparência na cadeia de suprimentos;
  3. Proteínas Alternativas; e
  4. Impressora 3D de comida.

Outcast Ventures e o Distrito se uniram para construir o Foodtech 2022, um relatório que mapeia as tecnologias no setor de alimentos, suas principais categorias, tendências e impactos.



Posts recomendados

Acesse o blog arrow