arrow Voltar
Como a Medicina Personalizada está transformando a saúde

Como a Medicina Personalizada está transformando a saúde

Imagine um cenário no qual, por meio de um simples exame, os dados de nosso DNA pudessem ser coletados para prever as doenças que temos probabilidade de desenvolver no futuro. Isso nos permitiria tomar medidas preventivas e passar por tratamentos mais focados em nossas características genéticas e hábitos de vida.  Muita gente pode achar que […]

29 de setembro de 2021 3 min de leitura
time

Artigo atualizado 29 de setembro de 2021

Imagine um cenário no qual, por meio de um simples exame, os dados de nosso DNA pudessem ser coletados para prever as doenças que temos probabilidade de desenvolver no futuro. Isso nos permitiria tomar medidas preventivas e passar por tratamentos mais focados em nossas características genéticas e hábitos de vida. 

Muita gente pode achar que a cena descrita está mais para um filme futurista, mas a boa notícia é que isso já está acontecendo: graças ao desenvolvimento da tecnologia na saúde, já é possível ter acesso a tratamentos que agem de forma mais precisa e personalizada por meio de pesquisa genética. 

Um desses tratamentos é a Medicina Personalizada (MP), uma abordagem médica que usa informações moleculares para identificar, prevenir, diagnosticar e tratar doenças. Abaixo, vamos explicar melhor como ela funciona. 

O que é Medicina Personalizada?

A Medicina Personalizada (ou MP) é uma abordagem médica que traz a ideia de personalizar os serviços de saúde, englobando nestes: decisões médicas, práticas e produtos, que seriam, nessa lógica, adaptados de acordo com o organismo de cada ser humano. Ou seja, ela visa o diagnóstico e tratamento adequado para o paciente certo no momento oportuno. 

O revolucionário nessa prática é que ela prevê ser possível em 10 ou 20 anos, as pessoas não irem ao médico porque estão doentes, mas para saber se têm predisposição para alguma enfermidade. Além disso, seus exames vão mostrar escores preditivos, ou seja, ajudarão a mensurar os níveis de risco para o desenvolvimento de doenças: alto ou baixo.

Como a MP impacta os negócios de saúde?

“Personalização da saúde não é tendência, é a realidade pela qual ela deve ser acessada e seus serviços e produtos entregue”, afirma Rafael Matioli, Senior Business Development Manager da Viveo, empresa que integra um ecossistema de produtos e serviços para o setor da saúde. 

Com empresas especializadas em cada elo da cadeia, desde a fabricação até a entrega ao paciente, a Viveo já entendeu que a MP é mais que uma realidade para os mercados que atuam no setor: “ Negócios que geram este valor da Medicina Preventiva de forma segura, coerente, embasada tecnicamente, que sejam escaláveis e, de fato, coloquem o paciente como foco, serão vencedores em saúde” diz Rafael. 

Prova disso, é que o financiamento global direcionado a empresas que trabalham com genômica e com medicina de precisão (outro nome para medicina personalizada) passou por um crescimento bastante acelerado nos últimos anos, segundo dados do CB Insights:

Fonte: CB Insight

Outro fato importante levantado no Inside HealthTech Report do Distrito sobre Medicina Preventiva, é o amadurecimento do mercado, com investidores apostando em cheques mais gordos para negócios já mais estabelecidos. 

Cenário brasileiro

Em 2013, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determinou que exames genéticos para 29 tipos de doença fossem incluídos no rol de procedimentos que os planos de saúde devem oferecer.  Assim, eles se tornaram uma alternativa viável para os mais de 47 milhões de brasileiros que são beneficiários desse tipo de serviço.

Porém, estes exames ainda não estão disponíveis no SUS (Sistema Único de Saúde) devido ao seu alto custo. Apenas alguns hospitais e centros universitários especializados, como o do HCFMRP-USP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo), disponibilizam esse acesso.

Uma esperança para que este tipo de serviço se torne mais acessível é o crescimento das healthtechs, que cada vez mais trazem inovações para o setor no país. Ao ajudarem a desenvolver e escalar a tecnologia aplicada nesta abordagem, por exemplo, podem contribuir para baratear esses custos. 

São mais de 900 empresas atuando neste setor, segundo dados da base do Distrito, 42 delas voltadas para a inovação no cuidado, prevenção e tratamento. 

Caso queira saber mais sobre o tema e como o universo das healthtechs tem contribuído para sua evolução, veja nosso Inside Healthtech Report. 

Mais lidos

Compartilhar
Editoriais
  • Aceleração
  • Cases
  • Corporações
  • Cultura de inovação
  • CVC
  • D4S
  • Ecossistema e conexão
  • Estratégias
  • Eventos
  • Ferramentas e processos
  • Governança
  • Hubs
  • M&A
  • Partnership
  • Programas
  • Squads
  • Startups
  • Techboard
  • Tecnologia
  • Tendências
  • Transformação Digital

Posts recomendados

Acesse o blog arrow