Além disso, cole esse código imediatamente após a tag de abertura :
arrow Voltar
Deep techs: as startups que dominam tecnologias complexas

Deep techs: as startups que dominam tecnologias complexas

Com o avanço tecnológico, sabemos que tudo pode ser aprimorado para níveis bem superiores, sejam produtos, processos de produção ou até mesmo novas tecnologias. E a criação e desenvolvimento de novas tecnologias passam pelas startups que se debruçam sobre pesquisas e estudos. Essas instituições voltadas para isso são chamadas de deep techs. Quer entender melhor […]

29 de junho de 2023 3 min de leitura
time

Artigo atualizado 29 de junho de 2023

Com o avanço tecnológico, sabemos que tudo pode ser aprimorado para níveis bem superiores, sejam produtos, processos de produção ou até mesmo novas tecnologias.

E a criação e desenvolvimento de novas tecnologias passam pelas startups que se debruçam sobre pesquisas e estudos. Essas instituições voltadas para isso são chamadas de deep techs.

Quer entender melhor sobre o que elas fazem e quais as diferenças com as demais startups? Continue com o Distrito e aproveite a leitura!

Afinal, o que são Deep Techs?

De modo geral, as deep techs são empresas que desenvolvem tecnologias inéditas, assim como sua tradução literal representa: tecnologia profunda. São equipes que estudam, pesquisam e fazem uma série de testes para validar e gerar uma tecnologia totalmente nova.

Assim, para que todo esse processo seja concreto e assertivo, os estudos são totalmente voltados para as áreas da física, matemática, biologia, engenharia e outras. Além da criação de inovações, elas também fazem aprimoramentos nas que já existem disponíveis no mercado, trazendo novas funcionalidades à solução.

Quando falamos nas deep techs, a inovação que buscam vai muito além de aspectos mais corporativos. As organizações buscam solucionar problemas relacionados à mobilidade de metrópoles, aquecimento global, cura de doenças e outros tópicos. Ou seja, são empresas que não se limitam apenas a um nicho.

Se quiser entender mais sobre a geração de um novo recurso, confira 10 fatores para validar uma nova tecnologia!

O que diferencia as Deep Techs das demais startups?

A maior diferença entre as deep techs e as demais startups é o potencial para criar novas transformações e mudanças impactantes para o mercado. Ou seja, as startups comuns focam na criação e desenvolvimento de tecnologias já existentes, enquanto as deep techs tem potencial superior e aprofundam sua atuação. Além disso, elas possuem outros diferenciais, tais como:

  • Utilização de tecnologias avançadas;
  • Soluções com base e testes, todos com comprovação científica;
  • Ecossistema catalisador;
  • Busca para a inovação sair do digital e ir para o físico;
  • Desenvolvimento sustentável (alinhado aos preceitos da ONU).

Quais são as principais atuações das Deep Techs?

Assim como vimos, possuem ampla dedicação para inovar trazendo diversas soluções para a sociedade, pensando em tecnologias que solucionem os problemas do mundo atual e outros possíveis que possam surgir. Nesse sentido, para ter relevância e gerar conhecimento válido, as deep techs possuem diferentes frentes, como:

1. Inteligência artificial

No momento, vários estudos estão voltados para a inteligência artificial (IA). Aqui, são estudos meios para deixá-la ainda mais potente e assertiva, com novas funcionalidades e melhor desempenho para utilizarem em mais áreas, como o setor da saúde, trazendo a IA como uma aliada.

Chat GPT: como essa AI impactará no futuro da sociedade?

2. Internet das Coisas

Com os estudos voltados para a internet das coisas (IOT), os estudos se voltam para a multiconexão dos aparelhos, para deixar tudo sincronizado e fácil de utilizar, sem a necessidade de tanto esforço humano para realizar as ações.

3. Robótica

É a busca por máquinas cada vez mais precisas e inteligentes para o mercado, seja para o uso doméstico ou industrial. Com elas, o processo e otimização de tarefas podem ser feitas com mais agilidade e desempenho, contando sempre com alta performance.

4. Energia renovável

Com os problemas de aquecimento global, essas empresas buscam aprimorar e desenvolver novas fontes de energias renováveis para diminuir os riscos climáticos e garantir mais qualidade de vida a todos.

5. Tecnologia quântica

A tecnologia quântica é o estudo sobre energia nuclear ou desenvolvimento de semicondutores, por exemplo. Além disso, por meio da criptografia que estudam, é possível ter mais segurança com as navegações na internet, tornando-as mais confiáveis.

6. Tecnologia agrícola

Assim como a robótica, a tecnologia voltada para a área agrícola proporciona e potencializa as operações rurais, como maior rendimento das safras. Assim, o maquinário delas podem se desenvolver e a necessidade de mão de obra pesada é reduzida, precisando apenas de pessoas capacitadas para o controle e manutenção preventiva.

7. Healthcare

São deep techs com o intuito de promover tecnologias que forneçam bem-estar e auxiliem pessoas em tratamentos de saúde. Ou seja, buscam por mecanismos que ajudem a prevenir ou diminuir dores de pacientes diagnosticados com algum problema de saúde.

Onde encontrar deep techs para parcerias com sua empresa?

Se você quer investir em inovação aberta e trazer novas empresas e tecnologias para atuarem como parceiras da sua corporação, o Distrito detém uma ampla rede de startups no banco de dados.

Temos várias deep techs voltadas para atuação em pesquisas profundas em diversas áreas da sociedade! Acesse e conheça nossas soluções. Se tiver qualquer dúvida, entre em contato com um de nossos especialistas!

Portanto, essas techs são startups essenciais para o nosso futuro. Com elas, teremos mais praticidades e desenvolvimento tecnológico, auxiliando em nosso trabalho e impactando diretamente nossa vida, seja na automatização de processos ou no auxílio para geração de tecnologias inovadoras.

Gostou do conteúdo? Aqui, no Distrito, você encontra muito mais temas como este para entender sobre startups, tecnologias e seus avanços. Até a próxima!

Mais lidos

Compartilhar
Editoriais
  • Aceleração
  • Aquecimento global
  • Case
  • Cases
  • Corporações
  • Crise
  • Crise econômica
  • Cultura de inovação
  • CVC
  • D4S
  • desafios abertos
  • Distrito
  • Ecossistema e conexão
  • Emissão de carbono
  • Estratégias
  • Eventos
  • Ferramentas e processos
  • fundos de investimento
  • Governança
  • Hospital das Clínicas
  • Hubs
  • IA
  • inovação
  • inovação aberta
  • inovação e empreendedorismo
  • InovaHC
  • Inteligência Artificial
  • investimento de risco
  • Kanban
  • M&A
  • mercado de capitais
  • Metodologia Kanban
  • Pandemia
  • Partnership
  • Programas
  • saúde
  • Squads
  • Startups
  • Techboard
  • Tecnologia
  • Tendências
  • Transformação Digital
  • VC
  • venture capital
  • Volkswagen

Posts recomendados

Acesse o blog arrow