arrow Voltar
Felipe Farias, CEO da Moodar, uma das startups brasileiras de sucesso.

Qual é o segredo das startups brasileiras de sucesso?

Felipe Farias, CEO da Moodar, residente do Distrito for Startups A tecnologia revolucionou nossa forma de viver em praticamente todas as áreas. Trouxe mais praticidade e comodidade, conectou pessoas, reduziu custos e abriu novos mercados, entre outros inúmeros benefícios. Quando olhamos para as grandes empresas do setor — as Big Techs —, é incrível pensar […]

7 de dezembro de 2020 5 min de leitura
time

Artigo atualizado 7 de dezembro de 2020

Felipe Farias, CEO da Moodar, residente do Distrito for Startups

A tecnologia revolucionou nossa forma de viver em praticamente todas as áreas. Trouxe mais praticidade e comodidade, conectou pessoas, reduziu custos e abriu novos mercados, entre outros inúmeros benefícios. Quando olhamos para as grandes empresas do setor — as Big Techs —, é incrível pensar que elas já foram startups iniciantes.

Por aqui, também temos diversos casos de startups brasileiras de sucesso. O que torna essas empresas especiais? O Distrito é uma plataforma independente de inovação que, além de apoiar o desenvolvimento de centenas de startups, produz uma grande variedade de reports sobre o setor.

A partir da nossa experiência na área, selecionamos alguns fatores determinantes para uma startup se desenvolver e conquistar o sonhado crescimento acelerado. Abaixo você pode conferir as respostas para essa pergunta e ainda conhecer três cases de sucesso da comunidade Distrito for Startups. Confira!

Características das startups de sucesso

Muitas pessoas ainda têm a imagem de que uma startup de sucesso é fruto apenas da mente brilhante de um jovem aficionado por tecnologia, programando códigos na garagem da casa dos pais. 

No entanto, o mundo mudou muito e, atualmente, para sobreviver à acirrada competição e se destacar no mercado, os empreendedores precisam se estruturar. Veja a seguir as principais características das startups vencedoras.

Foco na dor do cliente

Uma startup só vai sobreviver se o produto ou serviço que ela pretende desenvolver for capaz de resolver a dor de muita gente. Vamos citar um caso clássico para ilustrar: a Uber. O táxi era um meio de transporte caro, escasso e difícil de ser acessado. Houve um tempo em que as operadoras de táxi cobravam taxa de chamada, de agendamento, para uso do porta-mala e até para pagar com cartão de crédito!

Além disso, não é todo mundo que quer ou pode usar o próprio carro para se locomover pela cidade. Por fim, muitas pessoas que têm um automóvel precisam de renda extra e poderiam usá-lo para isso. Assim, a Uber conseguiu captar uma dor que afeta muita gente para criar um serviço inovador, que abriu um novo mercado.

O exemplo se encaixa bem no conceito de startup, ou seja, criar uma solução tecnológica que possa ser replicada com facilidade e seja escalável. 

Times diversos, com liderança horizontal

O capital humano é determinante para o sucesso de uma startup. Para manter um ambiente propício à inovação, é preciso contar com uma diversidade de talentos, ou seja, uma equipe multidisciplinar de profissionais com habilidades distintas e complementares.

Além disso, as startups de sucesso buscam manter uma estrutura horizontal. Nesse modelo, os líderes devem estimular a participação de cada membro do time, e não apenas comunicar decisões de cima para baixo. Ao adotar uma forma de trabalho mais colaborativa, aumenta-se o senso de responsabilidade, criando um ambiente em todos estão comprometidos com os objetivos do negócio.

Uso de financiamento para expandir o negócio

Para se desenvolver, as startups precisam de recursos. Diferentemente do que ocorre em boa parte dos negócios tradicionais, elas recorrem ao capital de terceiros para isso: linhas de financiamento específicas, investidores anjo, fundos de venture capital ou captação por meio de equity crowdfunding.

Além de obter os recursos necessários para desenvolver a empresa, também é uma maneira de testar a tese de investimento da startup perante o mercado. Os investidores só vão injetar capital se acreditarem na ideia e na capacidade de execução dos founders e da equipe. Portanto, conseguir investidores também dá credibilidade e colabora para a imagem e a reputação da startup.

Esse é um mercado que se manteve aquecido mesmo durante a pandemia. Dados do estudo Inside Venture Capital, elaborado pelo Distrito, mostram que os investimentos em startups movimentaram US$ 700 milhões no Brasil no primeiro semestre de 2020.

Startups brasileiras de sucesso

Agora vamos ver como três startups brasileiras, de diferentes setores, aplicaram esses conceitos para se desenvolverem. Elas participam da comunidade Distrito for Startups e contaram com todos os benefícios que esse programa proporciona.

Foregon

A Foregon é uma fintech que ajuda quem está procurando algum produto financeiro: cartão de crédito, empréstimo, financiamento ou mesmo apenas abrir uma conta bancária. Ela facilita a decisão do usuário, ajudando-o a encontrar e solicitar o produto financeiro mais adequado ao seu perfil. 

“Estar próximo do ecossistema de startups foi um grande diferencial para conseguirmos mudar o nosso negócio e crescer mais de 25 vezes nos últimos 4 anos. Nós realizamos e apoiamos eventos como meetups, startup weekends e hackathons e hoje somos residentes no Distrito for Startups, que é a maior comunidade independente de inovação e startups do Brasil”, afirma o CEO Gustavo Marquini.

Para eles, três fatores principais ajudam a explicar o crescimento da empresa:

  • mudança de posicionamento e propósito;
  • empoderamento do time e mudança de cultura, de uma empresa tradicional para uma cultura de startup;
  • participação ativa no ecossistema de startups.

EnglishBay

A EnglishBay é uma edtech com 3 anos de atuação que foi criada para o mudar o mercado de idiomas no Brasil. Mesmo com o cenário da pandemia, o negócio conseguiu crescer 20% ao mês, além de expandir para outros países, como México e Portugal.

De acordo com a startup, a proximidade com o Distrito trouxe acesso a vários mantenedores, como Microsoft e Grupo Mafra, resultando em mais conexões e levando a uma maior integração com o ecossistema corporativo, além de poder trocar experiências com outros residentes.

Com o Distrito for Startups, a EnglishBay conseguiu criar conexões e adquirir conhecimento sobre levantamento de capital, participar de mentorias relacionadas às principais necessidades básicas de uma empresa, desenvolver novas estratégias comerciais e impulsionar seu crescimento.

Moodar

A Moodar surgiu como uma startup para a prevenção de doenças crônicas como obesidade e diabetes. Em determinado momento, fez um levantamento com os pacientes para entender por que eles usavam a solução. O feedback dos usuários foi determinante para o futuro do negócio: muitos deles não tinham diabetes ou hipertensão, mas estavam estressados e perceberam que na plataforma o contato com terapeutas era bem acessível.

Por isso, ajustaram o posicionamento e se tornaram uma plataforma voltada para a saúde emocional. Na esteira desse reposicionamento, a empresa mudou também de cidade, deixando Recife e vindo para São Paulo. Desde que contratou a primeira posição de trabalho no hub do Distrito, percebeu a oportunidade de construir novos relacionamentos.

“O simples fato de ter potenciais clientes circulando no ambiente abriu inúmeras portas para expor nossa startup. Ter essa possibilidade de parcerias com outras startups, além dos eventos realizados pelo Distrito e o ambiente do Hub Físico, nos ajudou a expandir as conexões e conseguimos crescer mais rápido em São Paulo. Os primeiros clientes surgiram quando a gente começou a construir essa rede”, afirma Felipe Farias, CEO da Moodar.

Foi em um desses encontros que surgiu o projeto com a Johnson & Johnson, o “Cuidando de quem cuida de nós”, que disponibiliza milhares de consultas para médicos, profissionais de enfermagem e fisioterapeutas. “Saímos de 10 clientes corporativos antes da pandemia para 30 hoje, além do projeto com a J&J”, destaca Felipe.

Distrito for Startups

O Distrito for Startups é um programa que oferece suporte completo ao desenvolvimento das startups, atuando em diversas frentes:

  • marketing e vendas: divulgação das startups e conexão com grandes empresas;
  • conhecimento: treinamentos para founders e mentoria com mais de 200 opções de mentores;
  • gestão: gratuidade e descontos em ferramentas de gestão, marketing e vendas;
  • investimento: curso sobre pitch, captação/valuation e conexão com fundos e investidores;
  • comunidade: hubs físicos e digitais para conectar mais de mil pessoas da comunidade.

O programa foi construído com base nas principais dores das startups, atacando cada um dos desafios. Para isso, faz um acompanhamento periódico individualizado para auxiliar na evolução do negócio, por meio de um profissional especializado para cada vertical de startup. Agora que você já sabe o que fez dessas startups brasileiras um sucesso, que tal conhecer melhor o Distrito for Startups e ver todos os benefícios aos quais você pode ter acesso? É muito mais acessível do que você imagina!

Posts recomendados

Acesse o blog arrow