A aceleração regional é um bom caminho para o Rio Grande do Sul?