arrow Voltar
Educação 4.0 e seus impactos na inovação

Educação 4.0 e seus impactos na inovação

Educação 4.0: uma nova forma de aprendizado.

1 de agosto de 2022 6 min de leitura
time

Artigo atualizado 1 de agosto de 2022

Educação 4.0: uma nova forma de aprendizado.

Vivemos em um mundo onde as transformações tecnológicas moldam nossa forma de viver, impactando em nossos hábitos, na forma em que trabalhamos, no nosso jeito de nos comunicarmos e até mesmo no funcionamento de grandes indústrias e empresas. 

Porém, alguns setores acabam se apoiando tanto no tradicional que por muitas vezes encontram dificuldades em implementar mudanças e, por consequência, em inovar.

Um grande exemplo de setor que ficou por muito tempo engessado com velhas práticas e poucas iniciativas de inovação é o de educação, porém isso está mudando. 

Há alguns anos era possível apontar algumas ações inovadoras em certas instituições de ensino, porém, por conta da pandemia da COVID-19 a área de educação foi forçada a mudar. 

Conforme disse Platão “a necessidade é a mãe da invenção”, e para driblar os desafios impostos pela pandemia, muitas iniciativas foram tiradas do papel e colocadas em prática. 

Hoje já é possível achar diferentes formatos de sala de aula, onde há uma junção do online com o presencial, com diferentes abordagens, como por exemplo, aulas gameficadas, experiências com realidade virtual, entre outras ações que impactam diretamente no aprendizado do aluno. 

Essas transformações, e muitas outras, fazem parte da Educação 4.0. Nesse artigo você vai conhecer mais sobre esse conceito e entender como a inovação está também transformando o ensino. 

O que é educação 4.0?

A Educação 4.0 é um novo conceito de ensino que tem como principal foco transformar o futuro da educação por meio de tecnologias avançadas e automação. 

Esse conceito leva em consideração que o antigo modelo de ensino, no qual o professor era o ponto central da sala de aula e os alunos deveriam manter-se sentados em fileiras absorvendo passivamente o conteúdo ensinado, não funciona mais para o aluno do século 21. 

Dessa forma, a Educação 4.0 propõe uma aprendizagem mais ativa, utilizando a tecnologia para tornar o ambiente mais atrativo para os alunos, incentivando-os a colocar a mão na massa e aprender enquanto praticam, técnica conhecida como learn by doing – ou em tradução livre, aprenda fazendo. 

A ideia é tornar o aluno um impulsionador de seu próprio aprendizado, oferecendo maior autonomia, recursos tecnológicos e metodologias de ensino ativas.

Educação 4.0 e a quarta revolução industrial

A Educação 4.0 faz parte de um movimento maior, que tem impulsionado grandes mudanças em todas as indústrias e mercados, chamado de quarta revolução industrial, ou indústria 4.0, 

Essa revolução é pautada pelos avanços tecnológicos e a inovação, a Internet das Coisas, Inteligência Artificial e a robótica são exemplos de transformações que já estão impactando o mercado, e por conseguinte, as nossas vidas. 

E, além do que já foi mencionado, a Educação 4.0 visa também preparar os alunos para um mundo no qual o sistema ciber físico é onipresente em todas as indústrias. Segundo o relatório The Future of Jobs, produzido pelo Fórum Econômico Mundial, ainda é difícil encontrar profissionais que possuem as principais habilidades mais requisitadas para as profissões do futuro – como por exemplo, aprendizagem ativa, inteligência emocional, resolução de problemas complexos, conhecimento de técnicas de aprendizagem, entre outros. 

Por isso, o conceito do learn by doing, proposto pela Educação 4.0, é tão importante, pois ao desenvolver a capacidade de aprender a aprender o aluno torna-se mais preparado para a tendência do novo mercado de exigir o desenvolvimento novas habilidades cada vez mais rápido.

O futuro do ensino superior na era da educação 4.0

Por conta dos avanços tecnológicos provocados pela quarta revolução industrial, pode-se dizer que os sistemas educacionais, incluindo o ensino superior, foram desenvolvidos e preparam os alunos para um mercado de trabalho que, em um futuro próximo, não irá mais existir. 

Dessa forma, o ensino superior precisa preparar os estudantes para a nova economia, oferecendo metodologias mais ativas, nas quais há uma inversão do modelo padrão de sala de aula, colocando o aluno como protagonista e incentivando-o a solucionar problemas, criar projetos e aprender na prática os conceitos trabalhados. 

Uma metodologia que já está sendo utilizada e ganhará maior destaque no ensino superior é a sala de aula invertida, na qual através de laboratórios virtuais, fóruns online e videoaulas o aluno consegue absorver os conteúdos fora da sala de aula e colocá-los em prática durante as aulas, tendo a figura do professor quase como um mediador do ensino.

Outra tendência que foi muito impulsionada pela pandemia mas que promete continuar são as instituições de ensino superior online (EAD) ou híbridas – onde parte dos alunos participam da aula presencialmente e outros de forma remota – e o foco aqui continua sendo o mesmo: o aluno é responsável por seu próprio aprendizado.

Objetivos da Educação 4.0

Prepara os alunos para as indústrias em evolução

Uma pesquisa da McKinsey Digital revelou que, devido à quarta revolução industrial, 60% de todas as ocupações poderiam ter pelo menos um terço de suas atividades automatizadas.

Somado a isso, em 2016, o Fórum Econômico Mundial produziu um relatório explorando essas mudanças. Eles previram que, até 2020, “mais de um terço dos conjuntos de habilidades essenciais desejados da maioria das ocupações serão compostos por habilidades que ainda não são consideradas cruciais para o trabalho hoje”.

Algumas das habilidades sociais que eles afirmam que em breve se tornarão indispensáveis ​​incluem resolução de problemas complexos, habilidades sociais e habilidades de processo.

Por isso, um dos principais conceitos da Educação 4.0 é o learning by doing (aprender fazendo), que tem a experimentação como base para a absorção de conhecimento e desenvolvimento de competências.

E como num mundo movido a tecnologia a mudança acontece exponencialmente, “aprender a aprender” é uma aptidão que acompanha a tendência do mercado exigir novas habilidades cada vez mais rapidamente. Ela pode ser adquirida principalmente por meio de projetos e aplicações práticas.

Trazer uma nova abordagem de aprendizagem  

Uma maneira de alinhar os métodos de ensino e aprendizagem com as habilidades necessárias no futuro é incentivar o aprendizado híbrido, que é a ideia de que os alunos aprenderão o conhecimento teórico remotamente usando meios digitais, enquanto que todas as habilidades práticas ainda serão aprendidas pessoalmente.

Esta é uma forma mais flexível de aprendizagem que requer responsabilidade e boa gestão do tempo; habilidades que serão invocadas devido ao aumento da economia freelance.

A mudança para essa forma de trabalhar também exigirá que os alunos aprendam a se adaptar rapidamente a novas situações que possam enfrentar em suas carreiras em evolução.

A aprendizagem baseada em projetos é outra característica da educação 4.0 e destaca a importância de estudar um amplo conjunto de habilidades que podem ser aplicadas a cada cenário, em vez de se ater a um conjunto de habilidades diretamente ligadas a uma função específica.

A abordagem de exames e avaliações também mudará, afastando-se do método tradicional de absorção e retransmissão de uma vasta quantidade de informações; habilidades não tão necessárias no futuro.

Podemos ver os alunos avaliados em vez disso analisando sua jornada de aprendizado por meio de projetos práticos e experienciais baseados em aprendizado ou trabalhos de campo.

Porém, a maior mudança que provavelmente veremos como parte da Educação 4.0 é uma fusão mais profunda da tecnologia no processo de ensino.

O objetivo final de utilizar essa tecnologia e adotar novos métodos é colocar os alunos no centro do processo educacional, mudando o foco do ensino para o aprendizado.

Se adaptar a novas realidades 

As instituições de ensino estão caminhando para uma forma mais personalizada de aprendizagem.

Ao utilizar dados e acompanhar o desempenho dos alunos, as universidades e escolas poderão identificar estudantes com dificuldades e fornecer estratégias de aprendizado otimizadas para atender às suas necessidades.

A Educação 4.0 adota esse avanço na análise de dados e o usa para tratar cada aluno como um indivíduo, entendendo que as necessidades de aprendizado de todos e os resultados desejados serão diferentes.

Também haverá graus totalmente personalizáveis, em que um aluno não precisa escolher apenas uma ou duas disciplinas para estudar, mas pode selecionar módulos de vários programas.

Educação 4.0 e Cultura de Inovação

A cultura da inovação é a forma que uma cultura corporativa se destina a promover o desenvolvimento de inovações dentro da empresa. E uma das formas de colocá-la em prática é investindo no conhecimento do time. 

Isso se relaciona com um dos princípios da Educação 4.0, o “aprender a aprender” como vimos anteriormente, que para responder às necessidades de habilidades de trabalho da Indústria 4.0 exige a habilidade de aprender rapidamente com auxílio das tecnologias disponíveis. 

Tal exigência também se relaciona com outro termo, o life long learning, que é a ideia de que nunca devemos parar de aprender mesmo após as formações tradicionais. Como cada dia surgem novas habilidades necessárias para lidar com um mundo complexo, o ensino tradicional não dá conta de ensinar todas elas, e o bom profissional precisará por conta própria ir atrás das ferramentas de aprendizagem.  Portanto, uma cultura de inovação incentiva e adere a capacidade de aprender a aprender e o life long learning

Principais startups com foco em educação 4.0

Com o avanço da Educação 4.0 e a necessidade de oferecer soluções de ensino que ofereçam opções de ensino acessíveis e que utilizem a tecnologia como base de suas metodologias e abordagens surgiram as EdTechs, startups de educação. 

Essas empresas de tecnologia são iniciativas de inovação e transformação que atuam em diferentes setores da educação, sendo exemplos deles: plataformas de educação EAD, ferramentas para instituições de ensino, financiamento de ensino entre muitos outros. 

Veremos a seguir três edtechs que focam em educação 4.0.

Descomplica

O Descomplica é uma plataforma online focada em cinco categorias (escolas, vestibulares, universidades, concursos e pós-graduação), e oferece ferramentas e aplicativos online para oferecer uma aprendizagem mais interativa a seus alunos. 

Conquer

A Conquer é uma escola de negócio da nova economia oferece diversas opções de cursos, formações e treinamentos corporativos que tem como objetivo ir além do que as universidades e cursos de pós-graduação oferecem hoje, ensinando também sobre as habilidades necessárias para as profissões do futuro.

Arco Educação

A Arco Educação é uma startup que tem como principal objetivo levar a inovação e a tecnologia à todos os segmentos do ensino básico – da educação infantil ao ensino médio –, a empresa cria soluções educacionais, como ferramentas, e métodos, para proporcionar um aprendizado mais dinâmico e efetivo aos alunos.


Kit Inovação do Distrito

Posts recomendados

Acesse o blog arrow