arrow Voltar

Por que o Distrito NÃO é um coworking? Entenda como funcionam nossos hubs de inovação

Muitas pessoas confundem o significado de coworking e hub de inovação pensando que são a mesma coisa. Mas na realidade são modelos de negócio completamente diferentes. Por exemplo, o Distrito possui uma dinâmica e formato de negócio totalmente distinto do famoso WeWork, que é declaradamente um coworking e inclusive ajudou na popularização do termo. Nesta […]

31 de março de 2020 6 min de leitura
time

Artigo atualizado 31 de março de 2020

Muitas pessoas confundem o significado de coworking e hub de inovação pensando que são a mesma coisa. Mas na realidade são modelos de negócio completamente diferentes. Por exemplo, o Distrito possui uma dinâmica e formato de negócio totalmente distinto do famoso WeWork, que é declaradamente um coworking e inclusive ajudou na popularização do termo.

Nesta matéria hub de inovação vs coworking explicamos em detalhes a diferença entre cada um deles. Abaixo, você entende um pouco mais sobre cada um deles:

Coworking

É um modelo de negócio imobiliário em que o foco é a locação de metro quadrado para pequenas e médias empresas como também profissionais liberais. Não importa o foco de atuação que os residentes do espaço atuam e, sim, apenas fornecer um local de trabalho compartilhado. Os serviços oferecidos, na maioria da vezes, visam o conforto dos residentes e visitantes.

Esses locais costumam oferecer toda a estrutura de um escritório tradicional, porém de maneira compartilhada. Mesas, cadeiras, internet, cafezinho, sala de reunião, ar condicionado. Tudo fica à disposição dos usuários.

Hub de Inovação

É também um ambiente de trabalho compartilhado, mas tem como principal objetivo criar uma comunidade integrada e gerar valor aos seus residentes por meio de educação, conexões de negócios, mentorias, eventos, entre outros.

Neste caso, os hubs tem modelo diferenciado do coworking aceitando no espaço apenas os players focados em inovação, tecnologia e empreendedorismo – startups, corporações, investidores, pesquisadores, entre outros.

Isso acontece porque normalmente esses players têm objetivos em comum. Assim, o ambiente do hub é mais voltado em fomentar um espírito de comunidade na troca de experiências, oportunidades, aprendizados e necessidades. Com isso, o hub se torna um importante ambiente de aprendizado e negócios tanto para as empresas e seus founders quanto para os seus funcionários. Os hubs de inovação, apesar de cobrar uma mensalidade dos seus residentes, têm como principal objetivo gerar valor para todos.

ebook-mvp-Banner-1

3 motivos pelos quais o Distrito é um hub de inovação

O Distrito atua por meio de hubs devido ao modelo adotado em cada um dos cinco espaços que possuímos. Entenda mais sobre esse modelo:

Conectamos startups a investidores e outras empresas

Mais do que um espaço de trabalho, os hubs de inovação do Distrito oferecem às startups residentes a possibilidade de fazer networking. E não só com outras startups, como também com outros empreendedores, investidores e grandes empresas interessadas em inovar. É comum que as startups colaborem entre si, criando produtos e serviços em parceria, prática que é chamada de inovação aberta.

A startup que trabalha nos hubs de inovação do Distrito pode ser vista. Isso porque, pelo espaço, circulam investidores, que estão a procura de negócios promissores para investir. Em nossos hubs, também se encontram empresas consolidadas, em busca de soluções inovadoras para problemas do dia a dia. E não apenas isso, temos um time focado em Community Management que é responsável por gerir e cuidar da nossa comunidade, conectando startups, investidores e grandes empresas entre si. O trabalho de conexão realizado aqui vai além também dos limites físicos. Temos trabalhado constantemente para criar uma comunidade online engajada e interligada entre si.

Eventos

Além disso, outra maneira de conectar todo o nosso ecossistema é produzindo eventos, tanto em formato presencial quanto online, a fim de debater sobre questões como desenvolvimento pessoal, investimento, universo das startups, estratégias e muito mais. Isso é feito com o objetivo de fomentar ainda mais o networking e o relacionamento entre todos aqueles conectados ao nosso ecossistema.

Empresas podem ser mantenedoras de nossos hubs de inovação

Uma empresa mais tradicional pode investir em um dos hubs de inovação do Distrito, algo que não é possível quando se trata de um coworking. Ao fazer isso, a empresa se posiciona no ecossistema de inovação, aproveita oportunidades de negócio e ainda renova a própria cultura, pois entra em contato com as startups que estão inovando.

Alguns exemplos de empresas que são mantenedoras dos nossos hubs de inovação são Johnson&Johnson, Unimed, Bosch, HDI Seguros e KPMG. Além disso, essas empresas podem se posicionar de acordo com cada vertical de nosso negócio (como você vê mais abaixo).

Os hubs do Distrito se dividem em diversas verticais

Outra diferença entre coworkings e os hubs de inovação do Distrito é a de que nossos espaços se dividem em diferentes verticais, que reúnem startups voltadas para diversos setores da tecnologia.

“Os espaços são divididos em verticais de negócio para trazer maior sinergia a todos que frequentam esses locais. No Distrito Fintech, por exemplo,  recebemos todas as corporações e startups que têm interesse em construir novos modelos de negócios e tecnologias dedicadas a serviços financeiros – fintechs, insurtechs e criptotechs”, afirma Gustavo Gierun, co-founder do Distrito

Juntas, as unidades do Distrito Community somam mais de 5 mil metros quadrados. Conheça as unidades localizadas na cidade de São Paulo:

Além delas, temos ainda o Distrito Spark CWB, em Curitiba, que é focado em inovações relacionadas à indústria e já conta com a presença de 42 empresas, entre startups e corporações. Todos os hubs possuem programas para os residentes a fim de proporcionar uma experiência diferenciada.

Saiba mais sobre nossos hubs de inovação — e faça parte dessa história!

Além disso tudo, nossos hubs de inovação refletem os valores da nossa comunidade. Inclusão, diversidade, esforço colaborativo e compartilhamento de conhecimentos são alguns deles. Essa combinação tem dado certo: fechamos o ano de 2019 com 149 startups associadas, mil residentes e 22 empresas mantenedoras em nossas 5 unidades, o que nos torna o maior hub independente de startups e inovação no Brasil.

Agora que você sabe um pouco mais sobre o que fazemos, também pode se tornar parte dessa história. Seja você uma startup ou uma empresa que quer se aproximar de ideias inovadoras, entre em contato com a gente para saber como participar!

Ao olharmos o tráfego orgânico do nosso site, com frequência encontrarmos uma informação inusitada. Quando fazem buscas pelo Distrito, é comum que usuários digitem nas buscas os seguintes termos: “distrito coworking”.

O Distrito tem espaços de inovação nos quais startups podem trabalhar e fazer contatos com outros negócios. A descrição lembra a de um coworking, os famosos escritórios compartilhados de trabalho que ganham espaço no Brasil e no mundo, é verdade. No entanto, apesar de termos algumas características em comum com esses espaços, não é assim que nos identificamos.

Ficou confuso? Quer saber mais? Então leia o post para entender o que nos difere de um coworking e por que nos apresentamos como um hub de inovação.

3 motivos pelos quais o Distrito NÃO é um coworking

Conectamos startups a investidores e a outras empresas

Mais do que um espaço de trabalho, os hubs de inovação do Distrito oferecem às startups residentes a possibilidade de fazer networking. E não só com outras startups, como também com outros empreendedores, investidores e grandes empresas interessadas em inovar. É comum que as startups colaborem entre si, criando produtos e serviços em parceria, prática que é chamada de inovação aberta.

A startup que trabalha nos hubs de inovação do Distrito pode ser vista. Isso porque, pelo espaço, circulam investidores, que estão a procura de negócios promissores para investir. Em nossos hubs, também se encontram empresas consolidadas, em busca de soluções inovadoras para problemas do dia a dia. E não apenas isso, temos um time focado em Community Management que é responsável por gerir e cuidar da nossa comunidade, conectando startups, investidores e grandes empresas entre si. O trabalho de conexão realizado aqui vai além também dos limites físicos. Temos trabalhado constantemente para criar uma comunidade online engajada e interligada entre si.

Eventos

Além disso, outra maneira de conectar todo o nosso ecossistema é produzindo eventos, tanto em formato presencial quanto online, a fim de debater sobre questões como desenvolvimento pessoal, investimento, universo das startups, estratégias e muito mais. Isso é feito com o objetivo de fomentar ainda mais o networking e o relacionamento entre todos aqueles conectados ao nosso ecossistema.

Empresas podem ser mantenedoras de nossos hubs de inovação

Uma empresa mais tradicional pode investir em um dos hubs de inovação do Distrito, algo que não é possível quando se trata de um coworking. Ao fazer isso, a empresa se posiciona no ecossistema de inovação, aproveita oportunidades de negócio e ainda renova a própria cultura, pois entra em contato com as startups mais inovadoras do mercado.

Alguns exemplos de empresas que são mantenedoras dos nossos hubs de inovação são Johnson&Johnson, Unimed, Bosch, HDI Seguros e KPMG. Além disso, essas empresas podem se posicionar de acordo com cada vertical de nosso negócio (como você vê mais abaixo).

Os hubs do Distrito se dividem em diversas verticais

Outra diferença entre coworkings e os hubs de inovação do Distrito é a de que nossos espaços se dividem em diferentes verticais, que reúnem startups voltadas para diversos setores da tecnologia. 

Juntas, as unidades do Distrito Community somam mais de 5 mil metros quadrados. Conheça as unidades localizadas na cidade de São Paulo:

Além delas, temos ainda o Distrito Spark CWB, em Curitiba, que é focado em inovações relacionadas à indústria e já conta com a presença de 42 empresas, entre startups e corporações.

Saiba mais sobre nossos hubs de inovação — e faça parte dessa história!

Além disso tudo, nossos hubs de inovação refletem os valores da nossa comunidade. Inclusão, diversidade, esforço colaborativo e compartilhamento de conhecimentos são alguns deles. Essa combinação tem dado certo: fechamos o ano de 2019 com 149 startups associadas, mil residentes e 22 empresas mantenedoras em nossas 5 unidades, o que nos torna o maior hub independente de startups e inovação no Brasil.

Agora que você sabe um pouco mais sobre o que fazemos, também pode se tornar parte dessa história. Seja você uma startup ou uma empresa que quer se aproximar de ideias inovadoras, entre em contato com a gente para saber como participar!

Posts recomendados

Acesse o blog arrow