arrow Voltar

A Lituânia de portas abertas para empreendedores digitais

Este é o terceiro e último artigo de uma série que trata dos Países Bálticos, região que tem chamado a atenção de empreendedores e investidores como um dos polos de inovação tecnológica mais vibrantes de toda a Europa. Depois da Estônia e da Letônia, chegou a vez de desbravarmos a Lituânia, país que já conta […]

14 de setembro de 2021 3 min de leitura
time

Artigo atualizado 14 de setembro de 2021

Este é o terceiro e último artigo de uma série que trata dos Países Bálticos, região que tem chamado a atenção de empreendedores e investidores como um dos polos de inovação tecnológica mais vibrantes de toda a Europa.

Depois da Estônia e da Letônia, chegou a vez de desbravarmos a Lituânia, país que já conta com mais de mil startups e um unicórnio — a Vinted, marketplace de roupas vintage usadas que atraiu € 250 milhões em investimentos neste ano e superou os € 3 bilhões em valor de mercado.

No primeiro trimestre de 2021, as vendas totais das startups lituanas em mercados domésticos e internacionais somaram € 520,2 milhões, um crescimento de 110% em relação ao mesmo período do ano anterior. Também no primeiro trimestre, as exportações de bens de alto valor agregado e serviços criados pelas startups lituanas atingiram € 348,4 milhões, superando em 107% os valores do mesmo período de 2020.

A propósito: em 2021, o ecossistema de inovação lituano já levantou a quantia recorde de € 311 milhões em investimentos só no primeiro semestre.

A capital do país, Vilnius, foi eleita pela revista online EU-Startups.com uma das cidades mais atraentes da Europa para empreendedores digitais em termos de custos. Aliás, é possível registrar empresa na região em apenas um dia, utilizando assinatura eletrônica.

Para negócios de fora da União Europeia, existe o Startup Visa Lithuania, que dá ao portador acesso a todos os benefícios do ecossistema local para expandir sua empresa pelo continente.

Para entrar mais a fundo nesse cenário, convidamos Roberta Rudokienė, head da Startup Lithuania, organização governamental que opera sob o Ministério da Economia e Inovação lituano para criar um ambiente atrativo para startups no país:

A imagem mostra a empreendedora lituana Roberta Rudokienė
A empreendedora lituana Roberta Rudokienė

Qual sua visão da indústria de inovação lituana? Você acredita que esse ecossistema está em crescimento?

Definitivamente! Acreditamos que nosso ecossistema de startups atingiu um ponto de ruptura e continuará crescendo nos próximos anos. A Lituânia está se tornando um dos países mais amigáveis ​​do mundo para startups: ecossistema em expansão, ótima infraestrutura, apoio governamental, alta qualidade e baixo custo de vida transformaram a região em um ímã para empreendedores inovadores.

Quais são, na sua opinião, os centros de inovação mais importantes da Lituânia hoje?

O ecossistema de startups da Lituânia se desenvolveu exponencialmente nos últimos anos. Há uma série de incubadoras, parques científicos e tecnológicos, sandboxes, coworkings, capital de risco ativo e fundos de aceleração.

Vilnius, a capital, tem uma comunidade vibrante de startups com mais de vinte centros de negócios, aceleradores e pré-aceleradores, além de sandboxes regulatórios. Empresas como Revolut, Transfergo, grupo de Vere e outras reconheceram o valor desse ambiente e instalaram escritórios na cidade. Para ser mais específica, na Lituânia, temos centros de startups como Vilnius Tech Parks, Rockit e KTU Startup Space.

Hoje, você encontrará no país sandboxes de sucesso de fintechs, de energia, de soluções de transporte e de startups de propriedades imobiliárias. também há uma série de centros de colaboração de inovação ativos, como o Blockchain Center Vilnius.

Você pode citar uma startup ou solução inovadora da Lituânia com potencial para se tornar um verdadeiro sucesso, talvez até mesmo um unicórnio?

Este ano tem sido de sucesso para as startups lituanas: o número de investimentos no país está crescendo constantemente.

Em 2020, as startups  da região conseguiram crescer e conquistar novos mercados mesmo durante a pandemia. Conseguiram até aproveitar as oportunidades da crise para o desenvolvimento dos seus negócios e apresentaram muitos resultados excelentes: no ano passado, a quantidade de empresas de tecnologia se manteve bastante estável, e o seu número de funcionários cresceu 27%, chegando a 10,5 mil talentos. Também ao longo da pandemia, o salário médio do colaborador lituano aumentou 6% em relação a 2019.

Definitivamente, ainda teremos mais startups de sucesso e mais unicórnios, negócios que atrairão quantidades de investimento maiores e se expandirão globalmente. Aliás, o primeiro unicórnio de tecnologia da Lituânia é a Vinted, uma loja online de roupas usadas. Além disso, ainda temos o unicórnio não oficial Tesonet.

Escrito em colaboração com Darlan Moraes, fundador da New Option — [email protected]/www.newoptioncorp.com

Posts recomendados

Acesse o blog arrow