arrow Voltar

Como fazer a gestão de crise por perfil comportamental?

Texto enviado pela Sólides, RH Inteligente A gestão de crise é um assunto que nunca esteve tão em alta no universo empresarial. A pandemia do coronavírus impôs uma mudança brusca na rotina das organizações e isso tem um impacto muito forte na gestão de pessoas. Nessas horas, o gerenciamento por perfil comportamental faz toda a […]

22 de julho de 2020 4 min de leitura
time

Artigo atualizado 22 de julho de 2020

Texto enviado pela Sólides, RH Inteligente

A gestão de crise é um assunto que nunca esteve tão em alta no universo empresarial. A pandemia do coronavírus impôs uma mudança brusca na rotina das organizações e isso tem um impacto muito forte na gestão de pessoas. Nessas horas, o gerenciamento por perfil comportamental faz toda a diferença.

Neste artigo, você vai aprender sobre a relação estreita que existe entre a gestão de crise e a gestão de pessoas, além de como utilizar o perfil comportamental como aliado nesse momento. Ainda, falaremos sobre os principais erros da gestão de crise que a sua empresa não deve cometer. Confira! 

O que é a gestão de crise? 

Trata-se de um conjunto de ações que interfere diretamente na tomada de decisão dos gestores. Em momentos complicados, como durante uma crise financeira do mercado, ou mesmo agora, frente à COVID-19, o cenário muda completamente e o que era feito habitualmente não atende mais às necessidades do negócio.

Por isso, na gestão de crise são criados diferentes diagnósticos sobre a situação vivida pela empresa e, com base neles, a previsão de diversos cenários futuros. Todo esse esforço visa compreender melhor quais serão as ações que surtirão mais efeitos e conseguirão ajudar o negócio a superar os desafios e sobreviver à crise.

Como realizar a gestão de crise com o perfil comportamental?

Quando falamos em gestão de crise, é bastante comum se pensar, imediatamente, em questões financeiras. Contudo, os mais afetados nessas circunstâncias são os colaboradores. Nesse sentido, o uso da Metodologia DISC para gerenciar as pessoas se torna essencial para o sucesso da empreitada, visto que ela se baseia na análise das características comportamentais dos colaboradores frente a diferentes tipos de situação.

Para tanto, cada um dos 4 perfis comportamentais responde de forma diferenciada e, sabendo disso, os gestores podem atuar de modo mais estratégico na condução de seus times. Veja os principais pontos.

Comunicador

Um comunicador sob pressão tende a ser mais produtivo, visto que ele é movido por desafios. Trata-se de um perfil que se adapta muito bem à tomada de ações mais rápidas, focadas no curto prazo. Logo, mantê-los envolvidos nas proposições de soluções trará muitas vantagens para a empresa e engajamento para ele. 

Executor

Os executores sob pressão são ótimos para manter toda a equipe motivada. Trata-se de pessoas muito ativas, que gostam de estar sempre em movimento, os famosos “pau para toda obra”. Dentro da gestão de crise, eles ajudam a implementar ações imediatas, desde que sejam bem orientados por seu líder, pois tendem a querer fazer tudo o que aparece, sem pensar em uma estratégia macro.

Planejador

Gerenciar planejadores sob pressão é uma tarefa um pouco mais delicada, mas que gera muitas vantagens para a empresa. O perfil precisa da linearidade para trabalhar, algo que é mais difícil de manter frente a uma crise. 

Para tanto, o gestor de um planejador deve ajudá-lo a se manter organizado, o que pode ser feito com um checklist diário de alinhamento. Assim, esse profissional consegue atuar em cenários de longo prazo, contribuindo para o direcionamento adequado das ações do time.

Analista

Assim como acontece com os planejadores, analistas e crise não são os melhores amigos. Contudo, uma característica importante desse grupo é a capacidade de análise preditiva, o que os torna essenciais para que a empresa supere a situação. São excelentes em desenvolver processos e a visão do todo, fatores que a liderança pode utilizar para ter mais visibilidade futura e planejar os próximos passos com mais firmeza.

Qual o papel do RH na gestão de crise? 

O RH tem um papel fundamental na gestão de crise, já que toda empresa é movida por pessoas. Nesse contexto, ele precisa ser parte da alta cúpula do negócio, na camada onde as decisões-chave são tomadas, no qual o futuro da organização é definido.

A gestão de pessoas é capaz de determinar onde a empresa pode chegar com base nas características dos profissionais que nela atuam. Ainda, pode indicar qual é a melhor estratégia de redução de quadro para que haja diminuição de custos sem prejudicar a produtividade esperada, tudo isso com base em dados e informações reais, sem achismos.

Quais os principais erros cometidos? 

Os momentos de crise estreitam as margens de erro, qualquer pequeno tropeço e tudo pode ser colocado em risco. Por isso, conheça alguns descuidos que precisam ser evitados em sua empresa a qualquer custo.

Não jogar limpo com os colaboradores

Frente a tantas incertezas, muitas empresas optam pelo sigilo, pensando que a verdade poderia gerar uma espécie de caos na organização. Ocorre que a falta de informações causa problemas muito maiores, pois os boatos começam a se espalhar pelos corredores em uma velocidade impressionante.

Por isso, o ideal é jogar limpo, ser sincero. Se a empresa não sabe o que será feito, o melhor é comunicar isso aos colaboradores, dizer que estão analisando as possibilidades e que todos serão comunicados durante o processo. É preciso manter a confiança entre as partes.

Menosprezar o valor de cada profissional para o negócio

A pior forma de tentar motivar uma pessoa em um momento de crise é dizer que ela deveria se esforçar para manter seu emprego, já que existe uma fila de candidatos para ocupar seu lugar. O efeito disso é exatamente o contrário, o colaborador se sentirá desnecessário e desmotivado para trabalhar. 

Portanto, entenda e valorize seus profissionais, eles serão os responsáveis pela retomada do crescimento do seu negócio.

Não fazer o mapeamento do perfil comportamental dos colaboradores

Muitas empresas sequer sabem o que é perfil comportamental e acabam tomando decisões baseadas em achismos, o tal do “feeling”. Acontece que existe uma forma muito mais segura de conhecer seus colaboradores, que envolve análises de dados e cálculos estatísticos. 

No momento em que um pequeno tropeço gera grandes problemas, nada melhor do que contar com as ferramentas certas para uma gestão mais eficaz. Por isso, a análise de perfil comportamental é a melhor solução para uma gestão de crise bem-sucedida. Só assim, o seu negócio sairá mais forte dessa pandemia.Se você gostou do artigo e quer entender melhor como funciona essa gestão por perfil comportamental, conheça a ferramenta que vai mudar a sua visão sobre gestão de pessoas. Experimente o Profiler gratuitamente!

Posts recomendados

Acesse o blog arrow