arrow Voltar
RH 5.0: qual o papel da tecnologia em equipes de alto desempenho?

RH 5.0: qual o papel da tecnologia em equipes de alto desempenho?

O RH 5.0 é sobre como captar, encantar e engajar equipes de alta performance e levar a sua empresa a um novo patamar. No mundo todo, as startups de recursos humanos receberam US$ 12,3 bilhões em investimentos em 2021, valor cerca de 3,6 vezes superior ao de 2020 (PitchBook). No Brasil, não foi diferente: em […]

15 de julho de 2022 4 min de leitura
time

Artigo atualizado 15 de julho de 2022

O RH 5.0 é sobre como captar, encantar e engajar equipes de alta performance e levar a sua empresa a um novo patamar.

No mundo todo, as startups de recursos humanos receberam US$ 12,3 bilhões em investimentos em 2021, valor cerca de 3,6 vezes superior ao de 2020 (PitchBook).

No Brasil, não foi diferente: em 2021, o número de aportes únicos em HRtechs nacionais foi de 31, o maior do setor de RH em um único ano (Distrito).

O aumento nos números tem relação direta com a crise do coronavírus, que forçou as empresas a recorrer às últimas tecnologias para se adaptar à nova realidade do trabalho à distância.

Neste texto, você irá descobrir o que é o RH 5.0 e quais foram as soluções que mais ganharam destaque com a pandemia.

O que é o RH 5.0?

O termo RH 5.0 se refere à aplicação de novas tecnologias no setor de recursos humanos que otimizam o trabalho dos profissionais da área.

Essas tecnologias são empregadas para as tarefas mais simples e rotineiras do RH, mas também, e principalmente, para a contratação, retenção e desenvolvimento dos talentos da empresa.

O RH 5.0 está inserido no contexto amplo da revolução digital que transformou todas as categorias da indústria nas últimas duas décadas. Com o surgimento da pandemia, essa revolução se aprofundou ainda mais e atingiu em cheio os departamentos de recursos humanos.

Trabalho remoto e novas tecnologias

Em 2020, a crise da Covid-19 e a imposição do distanciamento social mudaram radicalmente a relação entre empresas e colaboradores.

Muitas companhias, por exemplo, foram obrigadas a conduzir processos de gestão de equipes através de meios exclusivamente digitais. Outras tantas passaram a investir no bem-estar emocional dos funcionários, atentas às apreensões provocadas pelo período de pandemia.

Assim é que as atenções se voltaram para as startups de recursos humanos e as suas soluções de base tecnológica.

Quais tecnologias com foco em recursos humanos foram impulsionadas com a pandemia?

As startups de recursos humanos, as chamadas HRTechs, são principalmente aquelas que desenvolvem infraestruturas tecnológicas para a gestão de times e contratação de novos empregados.

No entanto, também podem ser incluídas nessa categoria empresas com soluções inovadoras para a capacitação de profissionais ou que forneçam serviços de saúde e bem-estar (academia, psicanálise) como benefício corporativo.

Abaixo, seguem as inovações com foco em recursos humanos que foram impulsionadas com a pandemia.

Ferramentas de gestão de pessoas

As ferramentas de automação de processos relacionados à gestão de pessoas se tornaram uma das principais tendências no setor de recursos humanos.

Em 2020, essas soluções ganharam ainda mais força.

A Ahgora Sistemas, por exemplo, fornece um programa para registro de ponto, solicitação de férias, controle de acesso, gestão das folhas de pagamento, controle do banco de horas, entre outras funcionalidades.

A Ahgora foi fundada em 2006, mas consolidou sua operação no Brasil apenas em 2020, muito por causa da pandemia. Nesse ano, a empresa ultrapassou a marca de um milhão de trabalhadores sob gestão por meio da sua plataforma. Também aumentou o seu faturamento em 35% em relação a 2019.

Softwares de recrutamento e seleção

Do mesmo modo, os softwares que automatizam os processos de recrutamento e seleção também começaram a chamar a atenção das empresas nos últimos dois anos.

No Brasil, a Gupy foi pioneira no uso de inteligência artificial para a contratação de colaboradores.

A Gaia, como a tecnologia foi apelidada, é capaz de analisar e classificar candidatos, currículos e testes automaticamente de acordo com o que as organizações estão procurando. 

Em janeiro, a HRtech levantou US$ 94 milhões em uma rodada liderada pelo SoftBank, companhia japonesa dona do maior fundo de capital de risco do mundo.

Plataformas de educação

Recentemente, a Ambev fechou uma parceria com a startup Education Journey para oferecer aos seus empregados mais de 4 mil cursos que incluem hard e soft skills, gestão, data science, marketing e tecnologia.

Plataformas de educação online como a da Education Journey são outra tecnologia que adquiriram impulso graças à crise do coronavírus. Isso porque a adesão ao trabalho remoto e a rápida transformação digital decorrentes da pandemia aprofundaram a lacuna de profissionais da tecnologia que já existia no mercado de trabalho.

Em um artigo da Forbes, Sarah Franklin, presidente e CMO da companhia americana de software Salesforce, aponta que o papel de capacitar o pessoal que deverá preencher esse gap é da própria indústria tech, na medida em que as instituições de ensino tradicionais já não estão conseguindo acompanhar o ritmo de desenvolvimento acelerado do nosso universo digital.

Aplicativos de telemedicina

Com a adoção do modelo de trabalho home office e a necessidade de ficar em casa, as empresas passaram a dar mais atenção à saúde mental dos seus empregados.

Desse modo, entraram em cena as startups de bem-estar que intermedeiam serviços de psicólogos e outros especialistas em desenvolvimento emocional.

Uma delas é a Moodar, healthtech do Recife cuja plataforma conta com mais de cem profissionais cadastrados que o usuário pode selecionar segundo a especialidade e o perfil.

O aplicativo da startup permite a realização de consultas por vídeo, áudio ou apenas chat. No caso das sessões por vídeo, a tecnologia é capaz de adaptar a qualidade da chamada à do celular e da internet do paciente.

Recursos humanos e inovação

Segundo um estudo realizado em 2020 pela empresa americana de consultoria Gartner, os gerentes de recursos humanos gastam 69% do seu tempo em atividades que poderiam ser executadas por ferramentas digitais.

Somente os outros 31% são dedicados a atividades diretamente relacionadas ao desenvolvimento dos colaboradores da organização.

É justamente para solucionar gargalos como esses que as inovações tecnológicas estão mais presentes nos departamentos de recursos humanos. O objetivo é que o pessoal do RH, também através do auxílio de soluções tech, concentre os seus esforços na contratação de talentos especializados e na valorização desses profissionais.

Com a escassez de mão de obra qualificada e as elevadas taxas de rotatividade no mercado de trabalho, a tendência é que esses esforços exijam estratégias cada vez mais elaboradas e bem conduzidas.

É esse o papel do RH 5.0.


Posts recomendados

Acesse o blog arrow