arrow Voltar

A inovação nos trilhos da Rumo: maior operadora de ferrovias do Brasil

Segurança, eficiência e tecnologia aliadas às estratégias operacionais de maneira colaborativa e inovadora. É com esse propósito que estamos vivenciando um novo ciclo de investimentos nas ferrovias brasileiras para o transporte de cargas, motivada pelas possibilidades de expansão da malha ferroviária e o desenvolvimento de novas tecnologias para otimizar a logística das operações.   Entre as […]

10 de julho de 2020 3 min de leitura
time

Artigo atualizado 10 de julho de 2020

Segurança, eficiência e tecnologia aliadas às estratégias operacionais de maneira colaborativa e inovadora. É com esse propósito que estamos vivenciando um novo ciclo de investimentos nas ferrovias brasileiras para o transporte de cargas, motivada pelas possibilidades de expansão da malha ferroviária e o desenvolvimento de novas tecnologias para otimizar a logística das operações.  

Entre as principais malhas ferroviárias do mundo, a Rumo ocupa uma posição de protagonista como a maior operadora de ferrovias do Brasil. São aproximadamente 14 mil quilômetros de trilhos que conectam os grandes centros produtivos do país aos principais portos, entre eles Santos (SP) e Paranaguá (PR). 

Desde que assumiu a concessão em 2015, a concessionária retomou a importância do modal ferroviário na economia do país. E parte desse processo de transformação é resultado de uma prática que incentiva a construção de um ambiente disruptivo, inspirador e colaborativo.

Para inovar, a empresa reestruturou sua estratégia, buscando resolver seus problemas com a ajuda de agentes externos de inovação. Além disso, envolveu todos os colaboradores nesse processo, para aproveitar a diversidade e a multidisciplinaridade de suas diferentes áreas.

O Distrito conversou com o time de inovação da Rumo* para elaborar este estudo de caso e entender as iniciativas de inovação que foram e estão sendo implementadas na companhia.

Desafio

Fundada em 2008, como braço logístico das operações da Cosan, a Rumo assumiu a concessão das malhas ferroviárias em 2015, tornando-se a maior operadora de ferrovias do Brasil. A mudança trouxe grandes desafios, entre eles padronizar toda a logística e unificar a cultura em toda a empresa com foco na inovação. Além disso, havia a necessidade de migrar de processos manuais para soluções automatizadas visando minimizar erros e potencializar a eficiência das operações da origem até o destino.

Estratégia

A estratégia da Rumo para se manter inovadora e fomentar a cultura de inovação em toda a empresa, desde a base dos colaboradores até a alta gerência, é focada em programas internos de capacitação, investimento em projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), melhoria em tecnologias de ponta e parcerias com startups e outros players do ecossistema de inovação.

Foco nos problemas internos e diários

Inicialmente, a empresa adotou projetos de Pesquisa e Desenvolvimento Internos, principalmente para a otimização de processos que envolviam tomadas de decisão. Por exemplo, antigamente grande parte da operação logística da Rumo era manual, o que dificultava o trabalho, planejamento e a troca de informações entre os maquinistas e o Centro de Controle de Operações (CCO). Para solucionar isso, a empresa passou a utilizar sistemas integrados para a comunicação com maquinistas, controle de carga-horária e procedimentos de escalas. 

Programa de aceleração para colaboradores

Uma das principais estratégias adotadas foram os programas de inovação e aceleração para ideias de colaboradores internos. Uma dessas iniciativas é o Acelera, que foi desenvolvido para que os profissionais da empresa identifiquem problemas e, com metodologias de desenho de solução, consigam propor novas alternativas utilizando os seus conhecimentos.

Investimento em hardware e tecnologia

Outro ponto importante nessa jornada de inovação que a Rumo está percorrendo foram as inovações em hardware. Priorizando a segurança de seus colaboradores que estão na linha de frente, a empresa investe constantemente em tecnologias e processos voltados à segurança, principal valor da companhia. Para isso, uma área específica de P&D da Rumo passou a se conectar com o ambiente externo de inovação, buscando parceiros que pudessem ajudar a empresa.

Conexão com o ecossistema de inovação

Outra estratégia que complementa esse processo foi a parceria da Rumo com o Distrito. A empresa foi uma das idealizadoras na participação e criação do Distrito Spark CWB, hub de inovação localizado em Curitiba e inaugurado em maio de 2018. 

“O Distrito abriu as portas para muitas conexões entre áreas distintas da Rumo e startups. Por meio da troca de experiências com empresas que também estão se transformando, encontramos tendências que podemos aplicar em nossa cultura, além de reforçar nosso posicionamento como a empresa mais inovadora no segmento logístico”, conta o time de inovação da Rumo*.

Solução

A Rumo teve aprendizados diversos ao antecipar a inovação em um ambiente conservador. Durante a entrevista concedida pelo time da Rumo*, é evidenciada a importância de ter uma área de inovação consolidada e bem estruturada. 

A jornada que a Rumo está percorrendo tem dado bons resultados, posicionando a empresa como uma marca inovadora – a Rumo conquistou, por exemplo, o primeiro lugar em inovação no setor de Infraestrutura do Anuário Época Negócios 360º, em 2018, além de um aumento expressivo nos projetos desenvolvidos em Inovação Aberta.

Desde que assumiu a concessão, houve forte expansão dos volumes transportados, aumento de rentabilidade, redução do consumo de combustível, desenvolvimento de novas tecnologias e melhorias significativas nos índices de segurança.

*Amer Orra | Gerente de Inovação

Bruna Beck | Redes e Cooperação

Caroline Aguiar | Coordenadora de Inovação

Roberto Rubio Potzmann | CDO Rumo

Vivian Gasperino | Gerente Executiva de Inovação

Posts recomendados

Acesse o blog arrow