arrow Voltar
Estado do Rio de Janeiro tem 469 startups, divididas em 32 setores

Estado do Rio de Janeiro tem 469 startups, divididas em 32 setores

O Rio de Janeiro é bem conhecido pelas belezas naturais, pontos turísticos e Carnaval. Mas o que muita gente não sabe é que o estado é, também, um polo de startups. São 469 delas, divididas em 32 setores, de acordo com levantamento do Distrito Dataminer. Ficou curioso para saber tudo sobre as startups do Rio […]

10 de janeiro de 2020 4 min de leitura
time

Artigo atualizado 10 de janeiro de 2020

O Rio de Janeiro é bem conhecido pelas belezas naturais, pontos turísticos e Carnaval. Mas o que muita gente não sabe é que o estado é, também, um polo de startups. São 469 delas, divididas em 32 setores, de acordo com levantamento do Distrito Dataminer.

Ficou curioso para saber tudo sobre as startups do Rio de Janeiro? Então acompanhe este artigo!

Diversidade de setores é uma das marcas das startups do Rio de Janeiro

Quando olhamos para as startups do Rio de Janeiro, algo que chama a atenção são os mais de 30 setores de atuação. Os principais são Edtech (56), Fintech (56), Indústria 4.0 (45), Healthtech (40), Adtech (39) e Retailtech (39).

Os principais setores são Edtech (56), Fintech (56), Indústria 4.0 (45), Healthtech (40), Adtech (39) e Retailtech (39).

Segundo o Distrito Dataminer, as startups voltadas à educação representam 11,9% das empresas nesse tipo no Rio de Janeiro. Em comparação com outros estados em que houve levantamento, o número é bastante expressivo. Em Santa Catarina e no Paraná, por exemplo, as edtechs representam 4,3% e 7,0% das startups, respectivamente.

Mas também há startups de setores menos conhecidos, como o das autotechs, formado por negócios que trazem propostas inovadoras para o setor automotivo, e das fashiontechs, de soluções que unem moda e tecnologia.

Empresas se concentram na capital

Como é de imaginar, as startups fluminenses se concentram principalmente na capital: 85% estão localizadas na cidade, o que corresponde a 402 empresas. A vizinha Niterói também tem boa presença: são 26 startups, ou 5,5% do total. O bairro com mais negócios desse tipo é o Centro, com 25% do total. Em segundo lugar, fica a Barra da Tijuca, que concentra 17,6%.

No restante do estado, entretanto, o número de startups ainda se mostra tímido.

Soluções B2B são dominantes

No Rio de Janeiro, a maioria das empresas é voltada para outros negócios, assim como nos outros estados analisados pelo Distrito. As empresas que oferecem soluções B2B correspondem a 53,9% do total. Já aquelas voltadas ao consumidor final, as B2C, são 30,1%.

Algo recorrente em nossos estudos regionais é que normalmente as startups atendem e solucionam problemas de outras empresas. Isso se dá muito pela característica desse tipo de negócio que já nasce com foco em uma oportunidade ou demanda de mercado que não é atendida pelas grandes empresas promovendo soluções bem nichadas e focadas nas dores do mercado B2B.

Dentre tantos nomes, é possível observar alguns destaques. De acordo com o levantamento do Distrito Dataminer, que levou em conta características como número de funcionários, faturamento presumido, funding captado e métricas de mídias sociais, as 10 principais startups do Rio de Janeiro são:

1. Zoom

O Zoom é um site e aplicativo que permite comparar preços de lojas confiáveis. Nele o cliente pode, além de comparar, acessar informações de produtos de lojas de ecommerce em um só lugar.

2. Descomplica

O cursinho pré-vestibular online Descomplica foi criado em 2011, com foco no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). A startup já recebeu investimentos de diversos fundos, como Valar Ventures, 500 Startups e Valor Capital Group.

3. Passei Direto

Também no segmento das edtechs, o Passei Direto foi criado para ajudar estudantes universitários. Lá é possível compartilhar resumos, materiais de estudos e tirar dúvidas. Hoje, o site expandiu e pode ser usado também por alunos de outros níveis.

4. Volanty

O objetivo da startup Volanty é facilitar a compra e a venda de veículos seminovos. Criada em 2017, a plataforma reúne vendedores e compradores e oferece uma garantia de um ano para o veículo negociado. Em 2019, a Volanty recebeu investimentos do Softbank e do fundo argentino Kaszek.

5. VTEX

Mais veterana, a VTEX foi fundada em 1999 e desenvolve a plataforma de ecommerce de mesmo nome, disponibilizada como SaaS. A atuação é global, e dentre os clientes estão Walmart, Whirlpool, O Boticário e Tramontina.

6. BizCapital

A BizCapital oferece empréstimo online para pequenas e médias empresas de forma descomplicada, no valor de até 150 mil reais, com juros de 1,99% ao mês e que podem ser parcelados em até 24 vezes. O objetivo é permitir transações rápidas, transparentes e 100% digitais.

7. Nibo

Focado em gestão financeira, o Nibo permite acompanhar o fluxo de caixa, organizar contas a pagar, receber e automatizar processos de cobrança, de maneira integrada com o contador. A ideia já rendeu à startup algumas rodadas de investimento, como os 20 milhões recebidos da Vostok Emerging Finance, fundo global focado em fintechs.

8. Hotel Urbano

A agência de viagens online brasileira Hotel Urbano é outro destaque dentre as startups brasileiras. Fundada em 2011, seu foco é a venda de diárias em hotéis, permitindo parcelamento e cancelamento gratuito até a véspera do check-in.

9. Zoop

A Zoop facilita a integração das empresas com o sistema financeiro e regulatório da cadeia de pagamentos. Dessa forma, negócios como marketplaces, empresas B2B e de tecnologia se tornam fintechs. A empresa funciona no formato white label, permitindo que os negócios parceiros explorem comercialmente as soluções que oferece.

10. Ubook

Para quem gosta de livros, o Ubook oferece títulos em formatos diversos, para ler e ouvir. Na plataforma há audiobooks, ebooks e ainda podcasts, revistas e jornais, tudo em um só lugar. É possível acessar os conteúdos em diferentes plataformas e até offline.

Fique de olho

Ao observarmos as 10 startups que são destaque no estado do Rio de Janeiro, percebemos, seis delas atuam oferecendo soluções B2C, já as outras quatro (VTEX, BizCapital, Nibo e Zoop) estão mais focadas no B2B.

Startups fluminenses para ficar de olho

Além das startups de destaque, o levantamento do Distrito Dataminer traz também aquelas empresas em que vale ficar de olho. EmCasa, ChefsClube, Pluga.co, Fazenda Futuro, Gyra +, Árvore Educação e EqSeed são algumas delas.

Quer saber mais sobre as startups do Rio de Janeiro?

Então baixe o Distrito RioTech Report, de onde retiramos as informações para esse artigo. No levantamento você encontra textos analíticos e explicativos sobre o cenário de inovação no estado, comparação com outras unidades federativas, cases de sucesso, depoimento de empreendedores e muito mais.

Veja abaixo alguns dos nossos insights!

Dados e insights que chamam atenção no Distrito RioTech Report

Vtex, Volanty e Zoop são as startups do RJ que receberam as maiores rodadas de investimento;
Elevada concentração de startups na cidade do Rio de Janeiro, cerca de 85%, muito maior do que encontrado em outros estados;
São mais de 10.000 pessoas empregadas nas startups fluminenses;
Em densidade, as startups da cidade do Rio de Janeiro ficam para trás se comparadas às startups analisadas em outros estudos regionais;
As 03 startups fluminenses mais acessadas em outubro são: Zoom, Ingresso.com e Passei Direto.

Mais lidos

Compartilhar
Editoriais
  • Aceleração
  • Cases
  • Corporações
  • Cultura de inovação
  • CVC
  • D4S
  • Ecossistema e conexão
  • Estratégias
  • Eventos
  • Ferramentas e processos
  • Governança
  • Hubs
  • M&A
  • Partnership
  • Programas
  • Squads
  • Startups
  • Techboard
  • Tecnologia
  • Tendências
  • Transformação Digital

Posts recomendados

Acesse o blog arrow