arrow Voltar
Na imagem, você encontra o logo da Mafra e o título Estudo de Caso, que são referências diretas ao artigo que aborda toda as estratégias utilizadas pela empresa para inovar.

Grupo Mafra investe em Inovação Aberta para ter os hospitais no centro do processo

Atualmente os hospitais precisam ter um controle de estoque e logística extremamente alinhados entre si e que funcionem com primazia e eficiência, afinal o que está em jogo é a saúde e bem estar dos pacientes. Dessa forma, muitos hospitais contém grandes estoques e contam também com parceiros para entregar o que for necessário o […]

7 de julho de 2020 4 min de leitura
time

Artigo atualizado 7 de julho de 2020

Atualmente os hospitais precisam ter um controle de estoque e logística extremamente alinhados entre si e que funcionem com primazia e eficiência, afinal o que está em jogo é a saúde e bem estar dos pacientes. Dessa forma, muitos hospitais contém grandes estoques e contam também com parceiros para entregar o que for necessário o quanto antes.

É nesse contexto que a Mafra Hospitalar se destaca ao ser a distribuidora de materiais e medicamentos hospitalares líder no mercado brasileiro. Com mais de 20 anos de atuação, a empresa se destacou ao possuir uma transportadora própria, o que possibilita dar suporte e entrega imediata aos hospitais às instituições de saúde que atende. “O que fez a Mafra chegar nesse patamar é a logística agressiva que adotamos ao longo dos últimos anos. Por exemplo, se um hospital em São Paulo faz um pedido numa terça-feira, é bem provável que ele já receba o material no dia seguinte pela manhã”, comenta Guilherme Tavone, Gerente de Inovação e Transformação Digital do grupo.

Ao olharmos para história, tamanho e escala da Mafra, percebemos o quanto a empresa é relevante em seu segmento de atuação e vem cumprindo com seu papel de simplificar a saúde do Brasil. Mas a companhia está ciente que para continuar na posição de liderança que está hoje, não pode se acomodar e precisa inovar. Dessa forma, atualmente, a empresa enfrenta o seguinte desafio: como entregar mais valor para os hospitais e players que são atendidos? Essa pergunta será respondida ao longo deste estudo de caso.

Desafio

A Mafra percebeu que sua operação logística é seu grande diferencial, mas não deve parar por aí. A empresa continuará investindo e reformulando-se para ser relevante logisticamente, mas tem consciência que o mundo está mudando. Outros players também estão melhorando e desenvolvendo ainda mais a operação logística para atender as necessidades dos clientes.

Dessa forma, os líderes da Mafra perceberam a importância de olhar cada vez mais para o cliente e colocá-lo no centro do processo. A Mafra está mudando sua visão e posicionamento e quer ajudar os hospitais em todo o processo de armazenamento e estoque dos medicamentos. Em conjunto com o Distrito, a empresa mapeou as principais dores desses players e levantou algumas questões importantes:

  • O que acontece com esse produto depois que chega no hospital? Como é estocado, qual o processo e como funciona?
  • Como esse medicamento chega ao paciente? Qual a jornada do produto até a pessoa que irá consumi-lo? Como ajudar nesse momento?
  • Quais serviços podem ser criados ou complementados para trazer mais eficiência, redução de custos e segurança aos hospitais?

Estratégia

Antes de abordarmos, de fato, as ações que foram realizadas para enfrentar o desafio que a Mafra encontrou, é preciso entender como começou todo o processo de inovação.

Nos últimos anos, a Mafra iniciou um processo interno de mudança de mindset voltado para a Transformação Digital, que contou com a volta em 2018 de Leonardo Byrro na liderança da companhia. O empresário já havia sido anteriormente, de 2013 a 2016, CEO da Cremer, uma das marcas pertencentes ao Grupo Mafra. “O Léo fez uma imersão e passou algum tempo nos Estados Unidos e Vale do Silício. Ele já tinha um pensamento muito forte sobre evolução e a importância de se se aproximar dos ecossistemas de inovação”, comenta Tavone.

Posteriormente, em 2019, o grupo acelerou o investimento em iniciativas focadas em inovação e trouxe Tavone para comandar os projetos. Nesse mesmo período, a empresa começou a se aproximar do Distrito tornando-se mantenedora do hub de inovação Distrito InovaHC, maior espaço e ecossistema focado em startups e empresas do setor de saúde.

Da parceria, nasceu também uma iniciativa focada em entender o conceito de Hospital 4.0. Atualmente, após esse mapeamento realizado, a Mafra está em processo de desenvolvimento de novas soluções, abordagens e iniciativas. Além disso, também está sendo feito um trabalho de posicionamento e aproximação de startups que possam ajudar a empresa a oferecer novos produtos e contribuir com os hospitais para terem uma gestão de estoque mais independente.

Abaixo, listamos as estratégias adotadas nos últimos anos e evidenciada por Tavone durante a entrevista realizada.

  • Mudança de mindset: o grupo começou a mudar sua cultura e trouxe referências externas e uma liderança focada nisso.
  • Gestão da inovação: investiu-se mais em profissionais inteiramente focados em inovação.
  • Aproximação e parceria com outros players: a Mafra se aproximou do Distrito e se conectou com o ecossistema de healthtechs brasileiras.
  • Relação com stakeholders: começou a se conectar e procurar startups para se tornarem parceiras e ajudarem a empresa a se desenvolver.
  • Pesquisa e análise de mercado: foi a campo, entrevistou instituições de saúde e mapeou as principais dores do setor.
  • Desenvolvimento de novos projetos e iniciativas: começou a desenvolver novos produtos focados no mapeamento realizado das dores das instituições de saúde, com o objetivo de simplificar o mercado.
  • Posicionamento: realizou um trabalho de percepção de suas marcas e posicionamentos, e ajustou seu discurso de acordo com o novo mindset e práticas de inovação.

Solução

Como vimos ao longo do estudo de caso, a solução encontrada pela Mafra foi a construção de um processo de inovação que se iniciou com a mudança de mindset até o desenvolvimento de novas iniciativas. Como aliado desse processo, a empresa encontrou no Distrito um parceiro focado em Open Innovation que ajudou o grupo a se conectar com hospitais e outros players para assim entender o que pode agregar valor no serviço que a Mafra oferece.

A empresa também está mudando processos internos e focando em determinadas áreas para implementar a metodologia ágil. Além disso, está fazendo negócios também com startups, visando a redução de custo e o aprendizado. “O Grupo Mafra está focado em fortalecer parcerias que ajudem na transformação da saúde do Brasil, em tempo difíceis como o que estamos vivendo foi possível evidenciar a importância e a força da Mafra em cumprir esse papel. Muita coisa mudou, o que não mudou fortaleceu a obsessão pela satisfação do cliente e o propósito em cuidar de cada vida”, comenta Tavone.

Posts recomendados

Acesse o blog arrow