arrow Voltar
Metodologia ágil: entenda como funciona e seus princípios básicos

Metodologia ágil: entenda como funciona e seus princípios básicos

Uma metodologia ágil é uma forma de conduzir projetos com maior eficiência e assertividade. Isso resulta no tão sonhado fail fast learn fast essencial para a jornada de inovação.

29 de abril de 2022 6 min de leitura
time

Artigo atualizado 29 de abril de 2022

Uma metodologia ágil é uma forma de conduzir projetos com maior eficiência e assertividade. Isso resulta no tão sonhado fail fast learn fast essencial para a jornada de inovação.

Segundo o relatório da Agile Project Delivery Confidence, lançado pela PwC, projetos geridos com metodologia ágil são 28% mais bem-sucedidos do que aqueles conduzidos pelos meios tradicionais. Isso porque em um mundo no qual as concorrências são abundantes e as mudanças acontecem de forma cada vez mais veloz, contar com um método que visa a eficiência, fluidez e rapidez dos processos pode ser o diferencial quando o assunto é inovação.

Neste artigo, iremos falar um pouco sobre a importância da metodologia ágil, seus tipos e aplicações. Continue a leitura!

O que é metodologia ágil?

Metodologia ágil é um conjunto de práticas de gestão de projetos que têm o objetivo de trazer mais rapidez, eficiência e flexibilidade aos processos. Sua forma de gerenciamento envolve basicamente dividir um projeto em várias fases, contando com a colaboração constante das partes interessadas e a melhoria contínua em todas as etapas. 

Uma vez que o trabalho começa, as equipes passam por um processo de planejamento, execução e avaliação. A colaboração contínua é vital, tanto com os membros da equipe quanto com os stakeholders do projeto.

Assim, sua principal missão é tornar os processos mais simples, dinâmicos e iterativos, da concepção da ideia até o produto final.

Os princípios básicos de uma metodologia ágil

A metodologia ágil surgiu por volta de 2001 como uma resposta às necessidades dos desenvolvedores de software, que sofriam com modelos de trabalho inflexíveis e exigentes dos tradicionais meios de gestão conhecidos como cascata. 

Então, um grupo de 17 desenvolvedores reconhecidos se juntou em Utah, nos EUA, para discutir maneiras de desenvolvimento mais leves com base em suas experiências. Juntos, eles assinaram um documento chamado “Manifesto para o Desenvolvimento Ágil de Software”, que se tornou uma espécie de guia para quem aplica a metodologia ágil. 

Os quatro valores principais do Manifesto Agile são:

  • Indivíduos e interações acima de processos e ferramentas
  • Software acima de uma documentação completa
  • Colaboração do cliente acima da negociação do contrato
  • Responder à mudança ao invés de seguir um plano pré-determinado.

Por que usar metodologias ágeis nas empresas?

Apesar de ter sido criada por desenvolvedores, atualmente a metodologia ágil é aplicável em qualquer área ou equipe de trabalho. 

Quando falamos em transformação digital, esse é um importante passo para aplicar a mudança estrutural, operacional e estratégica.

Por ter uma estrutura na qual os projetos contam com uma constante iteração do público e stakeholders, seus resultados podem ser o aumento na satisfação do público, melhor comunicação entre os participantes do projeto e os clientes, aumento da produtividade e eficiência e redução de custos.

De acordo com o relatório de pesquisa 14th Annual State of Agile Report, que estudou empresas que aplicam metodologia ágil, os principais benefícios de adotá-la são: 

  • Melhor visibilidade nos projetos;
  • Melhor alinhamento entre a empresa e seu TI;
  • Melhor tempo de entrega e time to market;
  • Melhoria na moral dos funcionários;
  • Redução de riscos associados aos projetos;
  • Maior previsibilidade dos projetos.

Conheça as 5 principais metodologias ágeis

Scrum

O Scrum é o mais usado dos muitos frameworks que sustentam a metodologia agile. A ferramenta se caracteriza por ciclos ou estágios de desenvolvimento, conhecidos como sprints, e pela maximização do tempo de desenvolvimento de um produto de software em direção a um objetivo, o Objetivo do Produto. Este Objetivo do Produto é uma meta de valor maior, na qual os sprints aproximam o produto da equipe do scrum.

Todo dia começa com uma pequena reunião de 15 minutos, o Scrum diário, que tem o papel de sincronizar as atividades e encontrar a melhor maneira de planejar a jornada de trabalho, permitindo uma verificação da “saúde” do sprint e do progresso do produto.

Dentre suas vantagens, está a alta motivação da equipe, porque os participantes se empenham em cumprir o prazo de cada sprint, além da transparência que permite que o projeto seja acompanhado por todos os membros de uma equipe ou mesmo de toda a organização.

Uma desvantagem é que a segmentação do projeto e a busca pela agilidade de desenvolvimento podem, às vezes, levar a equipe a perder o controle do projeto como um todo, focando em uma única parte.

Kanban

O método Kanban é organizado em um quadro ou tabela (quadro Kanban), dividido em colunas, mostrando cada fluxo dentro do projeto de produção. À medida que o desenvolvimento evolui, as informações contidas na tabela mudam, e sempre que uma nova tarefa entra em jogo, uma nova “carta” é criada.

O método Kanban requer comunicação e transparência para que todos os membros de qualquer equipe saibam exatamente em que estágio de desenvolvimento estão e possam ver o status de um projeto a qualquer momento. Ele se concentra principalmente na capacidade da equipe e é melhor para processos que passam por pequenas mudanças.

Dentre suas vantagens,  estão a capacidade de visualizar todas as tarefas em um único projeto, a capacidade de fazer entregas contínuas e simplicidade de implementação.

Uma desvantagem é a possibilidade dos membros da equipe interpretem erroneamente as informações exibidas no Quadro Kanban, principalmente quando apresentadas como desatualizadas.

eXtreme Programming (XP)

A metodologia eXtreme Programming (“XP”) baseia-se na ideia de descobrir “a coisa mais simples que funcionará” sem colocar muito peso na visão de longo prazo do produto.

É uma metodologia que enfatiza valores como comunicação, simplicidade, feedback, coragem e respeito, e prioriza a satisfação do cliente acima de tudo. Essa metodologia incentiva a confiança motivando os participantes a aceitar as mudanças nos requisitos do cliente, mesmo que elas cheguem durante os últimos estágios do ciclo de desenvolvimento.

Lean

A metodologia lean vem do conceito de Lean Manufacturing (Manufatura Enxuta), originário do Sistema Toyota de Produção.

O desenvolvimento contínuo força a equipe a remover impiedosamente qualquer atividade que não traga valor final ao produto.

A metodologia consiste em 7 princípios essenciais:

1. Excluir coisas que não importam (qualquer coisa que não traga valor efetivo ao projeto do cliente); 

2. Desenvolvimento da qualidade (criar qualidade no desenvolvimento requer disciplina e controle do número de resíduos gerados); 

3. Criação de conhecimento (a equipe é motivada a documentar toda a infraestrutura para posteriormente reter esse valor); 

4. Compromissos divergentes (esse ponto incentiva a equipe a não se concentrar demais no planejamento e na antecipação de ideias sem ter um entendimento prévio completo dos requisitos do negócio); 

5. Entrega rápida (obter valor para o cliente o mais rápido possível); 

6. Respeitar a equipe (comunicação e gestão de conflitos são dois pontos essenciais);

7.  Otimizar o todo (a sequência de desenvolvimento tem que ser aperfeiçoada o suficiente para poder eliminar erros no código, a fim de criar um fluxo de valor real).

Crystal

O Crystal é um dos frameworks mais flexíveis, dando enorme liberdade à equipe para desenvolver seus próprios processos. Ele se concentra muito mais nos indivíduos e em como eles interagem do que no processo ou nas ferramentas – portanto, a comunicação é um aspecto essencial para a aplicação desta metodologia ágil.

Crystal tem variantes como Crystal Clear (equipe de até 8 pessoas), Crystal Yellow (equipe de até 10 a 20 pessoas), Crystal Orange (equipe de até 20 a 50 pessoas) e Crystal Red (para grandes equipes com 50 a 1000 pessoas). 

O método foca em princípios como pessoas, interações, comunidade, habilidades, talento e comunicação. O cerne deste processo de desenvolvimento é a interação e a simbiose, que devem existir entre as pessoas alocadas nos projetos e processos para trazer eficiência.

Cada projeto é único e sofre mudanças frequentes, por isso a equipe deve encontrar suas próprias maneiras de concluí-lo usando as melhores decisões.

Como aplicar a metodologia ágil no dia a dia

Um processo ágil de desenvolvimento de software, por exemplo, sempre começa definindo os usuários para um determinado produto e documentando uma declaração de visão para o escopo dos problemas, oportunidades e valores a serem abordados. O product owner  captura essa visão e trabalha com uma equipe multidisciplinar (ou equipes) para cumpri-la. 

Há várias funções e papéis envolvidos em um processo de desenvolvimento ágil.

Comercial

Um processo ágil sempre começa com o usuário ou cliente em mente. Hoje, muitas vezes definimos personas de usuário para ilustrar diferentes funções de fluxo de trabalho ou tipos de necessidades e comportamentos do cliente.

Product owner

O Product owner ou proprietário do produto tem a tarefa de ser a voz do cliente, incluindo quaisquer partes interessadas internas. Essa pessoa oferece insights, ideias e feedbacks para criar uma visão do produto.  Essas visões geralmente são curtas e diretas, mas mesmo assim pintam uma imagem de quem é o cliente ou usuário, quais valores estão sendo abordados e qual a expectativa de abordagem. 

Qualquer que seja a visão, o product owner é responsável por defini-la e depois trabalhar com a equipe de desenvolvimento para torná-la real. 

Para trabalhar com a equipe de desenvolvimento, o product owner divide a visão do produto em uma série de histórias de usuários. Cada história deve identificar os usuários-alvo, seus desafios, por que a solução é necessária e quais restrições e critérios de aceitação definem a solução. O product owner prioriza essas histórias e as analisa com a equipe para garantir que haja um entendimento compartilhado do que está sendo solicitado para determinado projeto.

Equipe multidisciplinar

As equipes devem ser multidisciplinares e incluir um grupo diversificado com as habilidades e antecedentes para realizar o trabalho. Além dos desenvolvedores, as equipes de desenvolvimento ágil devem incluir engenheiros de automação de garantia de qualidade, engenheiros de dados, designers de experiência do usuário (UX) e outras funções, dependendo do tipo de projeto de software.

Scrum Master

Os Scrum Masters geralmente treinam novas equipes em processos, responsabilidades e ferramentas ágeis. As responsabilidades do Scrum Master podem incluir a resolução de blocos que impedem o progresso, a revisão de abordagens para melhorar a velocidade da equipe ágil e a preparação de pendências.

Cabe aos líderes organizacionais decidir como estruturar equipes ágeis e qual o tamanho delas.

Metodologia ágil e inovação

As metodologias ágeis são essenciais para a construção de uma cultura organizacional com foco em inovação, além de contribuir para toda a jornada de inovação de uma empresa. Para se manter relevante no mercado, em pleno funcionamento e explorando novos horizontes de desenvolvimento é essencial contar com equipes e projetos eficientes com ampla capacidade de testar, errar, aprender e acertar o caminho.

Uma forma de garantir que a sua empresa consiga trilhar uma jornada de inovação certeira, é investindo em conhecimento e aprendizado sobre o que há de mais novo no mercado. E, mais uma vez, a inovação é um jogo infinito. 

Com a plataforma do Distrito, você pode ter sempre à mão tudo o que mais precisa para praticar a inovação todos os dias, desde movimentos importantes do mercado, até ferramentas para utilização cotidiana da corporação.



Mais lidos

Compartilhar
Editoriais
  • Aceleração
  • Cases
  • Corporações
  • Cultura de inovação
  • CVC
  • D4S
  • Ecossistema e conexão
  • Estratégias
  • Eventos
  • Ferramentas e processos
  • Governança
  • Hubs
  • M&A
  • Partnership
  • Programas
  • Squads
  • Startups
  • Techboard
  • Tecnologia
  • Tendências
  • Transformação Digital

Posts recomendados

Acesse o blog arrow