arrow Voltar
Como a Pantys está transformando o mercado de absorventes no Brasil

Como a Pantys está transformando o mercado de absorventes no Brasil

A Pantys está transformando o mercado de absorventes no Brasil

19 de agosto de 2022 4 min de leitura
time

Artigo atualizado 19 de agosto de 2022

A Pantys é uma marca brasileira de calcinhas absorventes, que utiliza a tecnologia com foco na saúde e bem-estar das mulheres

Falar sobre menstruação foi por muito tempo considerado um tabu na nossa sociedade. Hoje o assunto ainda é tratado com certo cuidado por algumas pessoas, porém cada vez mais vemos que o diálogo está sendo aberto. 

Além disso, ao olharmos para o mercado de absorventes brasileiro, vemos que não há muita inovação e novidades nesse setor. Ou pelo menos, não havia. 

As femtechs, empresas de tecnologia com foco na saúde e bem-estar das mulheres, estão ganhando cada vez mais relevância no mercado. Segundo dados do Crunchbase, no ano de 2021, essas empresas levantaram mais de US$ 1,2 bilhões pela primeira vez em todo o mundo, e a tendência é que esse mercado cresça ainda mais nos próximos anos. 
A Pantys, uma femtech com foco em mulheres e pessoas que menstruam, vem ajudando a revolucionar o mercado de absorventes brasileiro, não só apresentando uma possibilidade mais sustentável, mas também abrindo o diálogo sobre menstruação.

O que é a Pantys?

Com o objetivo de oferecer uma opção mais sustentável e visando a saúde e bem-estar das pessoas que menstruam, a startup Pantys é a primeira marca de calcinhas absorventes da América Latina.

Inicialmente, a empresa foi criada com o intuito de oferecer para o mercado brasileiro uma opção de calcinha absorvente que pudesse substituir os absorventes externos, que segundo as pesquisas feitas pelas fundadoras é o produto escolhido por 86% das mulheres brasileiras. 

Porém, hoje em dia, a femtech oferece diferentes produtos além das calcinhas, como por exemplo, biquínis e cuecas absorventes, sutiãs absorventes para lactantes, entre diversos outros produtos e acessórios.

Como a empresa começou?

A Pantys foi criada em 2016 por duas mulheres, Emily Ewel e sua sócia Maria Eduarda Camargo, também conhecida como Duda. 

Emily, nascida em Alexandria, Virginia nos Estados Unidos, sempre foi apaixonada por inovação e criação. A empresária é formada em engenharia química e possui vasta experiência no setor de saúde e tecnologia. Além disso, ela também passou um tempo trabalhando com marketing digital na Suíça. 

Duda, nascida em Sorocaba, sempre teve muito contato com o negócio de sua mãe: confecção de lingeries.  Com formação em economia, ela trabalhou em uma boutique de mercado financeiro por alguns anos. 

As duas se conheceram pois Emily se casou com o tio de Maria Eduarda. E em uma conversa, Emily comentou sobre uma opção de calcinhas absorventes que existia nos Estados Unidos com Duda, que já havia sofrido com alergias causadas pelos absorventes comuns.

Como ambas possuíam interesse em inovação, tecnologia, sustentabilidade e lingerie, entenderam que esse seria um bom mercado a ser explorado no Brasil. E após muita pesquisa e testes, surgiu a Pantys, com o objetivo de oferecer uma opção confortável, sustentável para o público brasileiro, mas que também ajudasse nas questões de lixo e pobreza menstrual.

Diversidade e ESG no centro do desenvolvimento

Um dos principais focos da empresa é a sustentabilidade. Segundo as pesquisas feitas para a criação da marca, mais de quatro bilhões de absorventes são descartados todo o ano no Brasil, 

Pensando nisso, o produto oferecido pela Pantys, não só traz mais conforto para quem usa, mas também ajuda a mitigar os impactos ambientais causados pelo descarte dos absorventes descartáveis. 

Uma única calcinha da marca, pode durar até 100 lavagens, o que diminui drasticamente o volume de lixo gerado por uma única pessoa. E, quando descartado, o produto se decompõe em até três anos no aterro sanitário. 

Além disso, segundo a CEO, Emily Ewel, em entrevista com o Distrito, “No que tange à sustentabilidade, fomos a primeira marca de moda no Brasil a fazer as métricas de carbono gerando nossa linha ‘carbono neutro’”. 

Um outro ponto levado em consideração pela marca, é o fato de que existe uma diversidade de corpos que menstruam, como por exemplo, homens trans e pessoas não-binárias.

Como uma forma de impactar um maior público com a sua solução, a Pantys deixou de ser uma empresa apenas focada em mulheres, e passou a oferecer produtos para todos os corpos que menstruam, oferecendo também shorts e cuecas absorventes. 

Pobreza menstrual

A questão da pobreza menstrual define-se pela falta de acesso a produtos básicos de higiene para o período menstrual, assim como problemas de infraestrutura, como a falta de saneamento básico. Além disso, a carência de conhecimento e educação sobre o tema também se encaixa nessa problemática. 

Segundo a ONU, o acesso à higiene menstrual é um direito que deveria ser tratado como uma questão de saúde pública, porém essa não é a realidade encontrada no Brasil. 

Dados de uma pesquisa realizada pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), mostra que 713 mil  adolescentes não possuem acesso a banheiro nem chuveiro em suas residências. E além disso, 4 milhões não têm acesso a itens básicos de higiene menstrual em suas escolas. 

De acordo com Emily Ewel, visando trazer impacto para essa causa, a Pantys realiza doações recorrentes pois acredita que seu produto e tecnologia tem potencial para mitigar e resolver esse problema, “se você entrega um absorvente para alguém em vulnerabilidade social você dá acesso para ela por um mês enquanto se você der uma Pantys você entrega acesso por anos”. 

O papel da inovação na sociedade

Muito além de avanços tecnológicos, a inovação, como podemos ver com o case da Pantys, possui força o suficiente para impactar não só o mercado, mas também a sociedade. 

Ao pararmos para comparar os hábitos da sociedade de uma ou duas décadas atrás com hoje em dia, é possível identificar grandes mudanças que foram alavancadas por iniciativas de inovação. Nossa forma de ouvir música, de trocar mensagens, de comprar comida, e até novas profissões surgiram por conta dessas iniciativas. 

Além disso, muitas empresas de tecnologia focam em solucionar problemas e dores sociais e ambientais, como é o caso das startups de impacto ou empresas que realizam doações ou utilizam suas próprias soluções para endereçar essas questões. 

Dessa forma, é possível dizer que a inovação, não traz apenas benefícios para quem idealiza e vende uma ideia, mas ela impacta diretamente nosso cotidiano e a sociedade no geral.


Mais lidos

Compartilhar
Editoriais
  • Aceleração
  • Cases
  • Corporações
  • Cultura de inovação
  • CVC
  • D4S
  • Ecossistema e conexão
  • Estratégias
  • Eventos
  • Ferramentas e processos
  • Governança
  • Hubs
  • M&A
  • Partnership
  • Programas
  • Squads
  • Startups
  • Techboard
  • Tecnologia
  • Tendências
  • Transformação Digital

Posts recomendados

Acesse o blog arrow