arrow Voltar

Transição de carreira para a área de inovação: como fazer?

A demanda por profissionais da área de inovação tem crescido no Brasil. Isso se deve aos investimentos em transformação digital que têm sido feitos nas empresas, que precisam se adaptar a um novo cenário, marcado pelo empoderamento do consumidor e pela indústria 4.0, assim como ao crescimento das startups.  Podemos definir inovação como a criação […]

22 de setembro de 2020 3 min de leitura
time

Artigo atualizado 22 de setembro de 2020

A demanda por profissionais da área de inovação tem crescido no Brasil. Isso se deve aos investimentos em transformação digital que têm sido feitos nas empresas, que precisam se adaptar a um novo cenário, marcado pelo empoderamento do consumidor e pela indústria 4.0, assim como ao crescimento das startups

Podemos definir inovação como a criação de algo novo — pode ser um produto, um serviço, um processo — que gere valor para os consumidores e para a sociedade de modo geral. Mas se engana quem pensa que trabalhar com inovação é passar o dia tendo ideias: a área requer não só criatividade como também habilidade de trabalhar em equipe, de analisar e de investigar.

Se você está pensando em fazer uma transição de carreira para a área de inovação, confira algumas dicas neste artigo!

Como fazer transição de carreira para a área de inovação?

Fazer uma transição de carreira para a área de inovação é um caminho cada vez mais natural, principalmente no ecossistema de startups, em que as pessoas deixam o mercado de trabalho tradicional para procurar um ambiente mais alinhado com seus propósitos.

Mas vale lembrar que para mudar carreira não é preciso jogar tudo para o alto e apostar todas as fichas em uma nova área de atuação. É por isso, inclusive, que esse processo se chama de transição. Confira algumas dicas sobre como fazer sua mudança de carreira e conheça as habilidades que a área de inovação exige.

Qual a média de salário de quem trabalha com inovação?

R$ 4.570 / mês - UI Designer  
R$ 5.370 / mês - Service Designer
R$ 5.700 / mês - UX Designer
R$ 6.300 / mês - Innovation Analyst
R$ 8.000 / mês - Innovation Specialist
R$ 8.500 / mês - Product Owner (PO)
R$ 8.850 / mês - Scrum Master  
R$ 11.400 / mês - Innovation Coordinator
R$ 17 mil / mês - Head of Innovation
R$ 19 mil / mês  - Innovation Manager
R$ 36 mil / mês - Innovation Director

Fonte: glassdoor
Preíodo consultado: setembro/2020

Entenda que carreira é mais que uma profissão 

Fazer transição de carreira é diferente de escolher uma nova profissão. Um publicitário que trabalha em uma agência de publicidade tradicional e quer mudar para a área de inovação pode procurar trabalhos que reúnam a inovação e as habilidades que já tem, trabalhando com marketing digital, por exemplo. Nesse caso, ele muda de carreira, mas não de profissão. 

Por isso que uma boa ideia para uma transição mais fácil é estudar as possibilidades da sua área de atuação. É provável que haja espaço para inovar em todas as profissões!

Tenha resiliência

Uma das principais formas de facilitar o processo de mudança é ter determinação e resiliência. O profissional em transição de carreira deve entender que provavelmente estará alguns passos atrás do momento que estava em sua carreira tradicional e que deverá estar aberto a aprender novas habilidades e conceitos.

Pense no início da sua carreira atual e tenha consciência de que pode ser preciso voltar para um estágio parecido, tanto em termos de cargo quanto de salário.

Faça networking

O bom de já ter uma carreira atualmente é poder aprender com os erros e acertos ao longo do caminho. Se na atual você deixou de fazer bons contatos, por exemplo, não leve isso para a nova área. O networking é fundamental para acelerar a sua transição.

Procure inteirar-se sobre iniciativas de inovação que existam na sua cidade e no país como um todo também. Participe do ecossistema de startups, indo a eventos, participando de fóruns, fazendo contatos no LinkedIn, conhecendo hubs de inovação.

Desenvolva as habilidades necessárias

No ambiente corporativo costuma-se falar em soft skills e hard skills. As hard skills são aquelas habilidades que podem ser aprendidas por meio de cursos e treinamentos, por exemplo. Já as soft skills são comportamentais, envolvendo mais do que um diploma, mas também toda a experiência do profissional. 

Veja algumas habilidades comportamentais desejadas na área:

  • Criatividade: é um dos motores da inovação. Ter ideias originais e encontrar soluções diferentes para os problemas atuais são habilidades necessárias para quem quer trabalhar na área.
  • Determinação: para inovar, é preciso arriscar. Afinal, estamos falando de produtos, serviços e processos que ainda não foram feitos por outras pessoas. Por isso, o profissional da área precisa ser determinado para não desanimar quando uma ideia não sair conforme o esperado.
  • Capacidade de experimentar e investigar: pesquisas e testes são atividades que fazem parte do dia a dia do profissional de inovação, por isso, ele também deve gostar de fazer experimentos e investigações.
  • Orientação a projetos: na área de inovação o trabalho costuma ser feito por meio de projetos. Saber planejá-los e desenvolvê-los é uma capacidade bastante desejável na área. Além disso, esses projetos costumam ser desenvolvidos em equipe, envolvendo diversos departamentos da empresa. Por isso, a capacidade de trabalhar de forma colaborativa é fundamental. 

Além disso, temos as habilidades específicas. Se você fizer parte da área de inovação de uma empresa, certamente ouvirá falar em metodologias como Design Thinking, Agile e squad. Por isso, pesquise sobre esses conceitos e procure ler livros sobre o assunto. Cursos rápidos também podem ser uma boa ideia.E você, tem alguma dica para quem está fazendo transição de carreira para a área de inovação? Se quiser ficar por dentro de outros temas relacionados à inovação, empreendedorismo e startups, continue acompanhando o nosso blog

Posts recomendados

Acesse o blog arrow