Criado pelo professor e autor do livro Open Innovation, o termo inovação aberta diz respeito à colaboração entre empresas, indivíduos e órgãos públicos para criar produtos e serviços inovadores.

A ideia baseia-se em que as empresas não podem investir apenas em pesquisas internas. Mas também podem se beneficiar imensamente da inovação com parceiros.

Em um mundo super conectado, a inovação aberta oferece oportunidades para reduzir custos de pesquisa, minimizar riscos e trazer inovações para o mercado mais rapidamente.

Inovação aberta x inovação fechada

A diferença entre elas é que, no caso da inovação fechada, as ideias, invenções, pesquisas e os desenvolvimentos necessários para colocar um produto no mercado são gerados dentro da própria organização.

Uma inovação fechada é baseada na visão de que as inovações são desenvolvidas pelas próprias empresas. Da geração de ideias ao desenvolvimento e marketing, o processo de inovação ocorre exclusivamente dentro dos limites da empresa.

  • As empresas investem grandes somas em pesquisa e desenvolvimento interno (P&D).
  • Esses departamentos de pesquisa e desenvolvimento fornecem invenções tecnológicas significativas que levam a produtos e soluções inovadores.
  • Know-how, tecnologia, processos e propriedade intelectual permanecem sob o controle da empresa.

Nos últimos anos, a inovação fechada tornou-se cada vez menos importante. Segundo Henry Chesbrough, os seguintes fatores são responsáveis ​​por isso:

  • O número de profissionais altamente qualificados no mercado está aumentando;
  • A disponibilidade de Venture Capital está aumentando;
  • O ambiente inovador de uma empresa oferece oportunidades externas para inovações potenciais não utilizadas;
  • O crescente número de clientes competentes, fornecedores especializados e pequenas empresas disponíveis como parceiros de cooperação;

O ambiente inovador de uma empresa está tornando-se cada vez mais importante e a qualidade e quantidade de know-how externo está em constante crescimento.

Quando aplicado o sistema de inovação aberto, a empresa pode usar recursos externos, como a tecnologia, e ao mesmo tempo disponibilizar suas próprias inovações para outras organizações.

Mas a troca típica da inovação aberta não significa acesso livre ao conhecimento e tecnologia de uma empresa. O termo refere-se apenas a redes colaborativas.

Quero receber conteúdos exclusivos

Inovação Corporativa pode se beneficiar do Open Innovation

Algo importante sobre inovação empresarial ou corporativa é que a inovação aberta pode ser uma opção para uma empresa iniciar o processo inovador interno. Na nossa matéria Como liderar no mercado de inovação empresarial explicamos as diferentes formas de uma empresa inovar.

Abaixo, no gráfico, você vê quais são elas.

5 práticas da inovação empresarial.


O interessante é que muitas dessas formas envolvem a empresa estar aberta ao que está acontecendo em seu ecossistema, como por exemplo, relacionar-se com startups e estarem abertas a investir ou criar um ambiente de troca com esses negócios.

Inovação aberta é isso! Como explicado acima, é quando uma empresa não se fecha no seu universo e até na sua própria estrutura. Dessa forma, a corporação tem uma postura de troca, seja com outras grandes companhias ou com startups.

O CB Insights traz reflexões importantes sobre como grandes corporações fazem das startups uma ponte para a inovação.

Os Principais benefícios da inovação aberta

Embora a importância da inovação aberta esteja aumentando, pode fazer sentido que uma empresa continue seguindo a abordagem da inovação fechada. Mistura de inovação aberta e fechada.

Porém a transição da inovação fechada para a inovação aberta é uma boa aposta. Ao abrir o processo de inovação para funcionários e parceiros de inovação externos, várias vantagens significativas podem ser obtidas.

Economia de tempo: redução do tempo para comercialização

O tempo de desenvolvimento do produto desde os primeiros passos até o lançamento no mercado (time-to-market) está se tornando cada vez mais importante devido a ciclos de vida mais curtos e maior concorrência.

A inovação aberta pode encurtar o tempo de desenvolvimento ao entregar as atividades aos parceiros de inovação, no sentido de uma divisão do trabalho.

Dessa forma, o tempo de desenvolvimento pode ser reduzido pela metade em comparação com um projeto interno. Além disso, essas parcerias permitem que as empresas reajam de maneira mais rápida às novas tecnologias e exigências do mercado.

Redução de custos: redução do custo de lançamento no mercado

Tendo em vista os mercados globalizados e o dumping de preços associado, as empresas estão se esforçando para reduzir os custos do processo de inovação desde o início do planejamento até o lançamento no mercado (coast-to-market).

Além disso, há reduções nos orçamentos de pesquisa e desenvolvimento que promovem ainda mais a tendência de inovação aberta. A divisão do trabalho reduz não apenas o tempo de desenvolvimento das inovações, mas também seu custo.

Nível de novidade: aumento do novo mercado

Outra vantagem central da inovação aberta é o fator novidade para o mercado. Que é a novidade percebida de uma inovação pelo consumidor. Em inovações de produtos, em particular, o grau de inovação é geralmente baixo, porque apenas inovações incrementais são produzidas.

Os produtos existentes são desenvolvidos apenas a partir do processo tradicional de inovação, sem criar valor agregado funcional. Inovações, por outro lado, que são criadas com o envolvimento de outros parceiros externos de inovação, abrem novas funcionalidades e criam novos mercados.

Portanto, se uma empresa consegue integrar parceiros inovadores no processo de inovação aberta, isso pode aumentar significativamente as inovações radicais e, portanto, o fator novo para o mercado.

Minimização de riscos: aumento do product market fit

Um pré-requisito para um alto nível de aceitação pelo mercado de um novo produto, o product market fit, é uma oferta de produto ou serviço que satisfaça as necessidades dos clientes.

Ao integrar empresas parceiras e clientes no processo de inovação aberta, a aceitação do mercado pode ser significativamente aumentada e o risco, de desenvolvimentos indesejáveis, ​​ser reduzido.

Mais ideias e base de conhecimento

Por meio da inovação aberta, várias fontes externas e internas de ideias e conhecimento podem ser aproveitadas e usadas para levar o gerenciamento da inovação a um novo nível.

Em média, cerca de cem projetos de P&D são necessários para colocar doze inovações de sucesso no mercado. O número de ideias necessárias para iniciar 100 projetos é muito maior. A inovação, portanto, requer muitas ideias.

A melhor maneira de ter uma boa ideia é ter muitas ideias.

Além da integração de parceiros de inovação externa e funcionários próprios no processo de inovação, as comunidades de inovação aberta estão se tornando cada vez mais importantes.

A criatividade da comunidade é usada para encontrar ideias para produtos inovadores, novos canais de distribuição, novos campos e modelos de negócios. O tipo de cooperação abrange desde a apresentação de ideias até a avaliação da comunidade sobre as ideias na plataforma até o desenvolvimento das ideias.

Assim funciona o modelo de Inovação Corporativa LEAP, que conecta problemas de negócio à inovação, ajudando empresas a resolver problemas e conquistar vantagens competitivas.

Conheça mais sobre a LEAP!

Inovação através da mudança de perspectiva

Uma das maiores vantagens do Open Innovation é a interligação de conhecimento e know-how de diferentes setores e áreas de parceiros, o que abre novas perspectivas.

As soluções que já são usadas com sucesso em outras áreas podem ser transferidas para projetos de inovação próprios. Isso torna possível desenvolver idéias e soluções que ninguém teria pensado antes.

Inovação de produtos e serviços já existente

Às vezes, não é preciso criar novos produtos, um produto antigo tem potencial para ser muito melhor. Tem potencial para atrair novos clientes. Basta reunir uma equipe criativa para melhorar e evoluir a ideia.

Um dos benefícios da inovação aberta é que o processo nunca termina. Você está sempre pensando em como pode melhorar.

Redução de riscos, custos e prazos

Para grandes organizações presas a processos, muitas vezes, é difícil avançar rapidamente com a inovação. Por outro lado, parceiros menores, como startups, geralmente não têm recursos para levar os projetos adiante tão rápido quanto gostariam.

A criação de uma parceria de Open Innovation pode reduzir os custos para o parceiro menor. Ao mesmo tempo que acelera os prazos para o maior e distribui o risco.

Partindo para o Open Innovation

A inovação aberta, praticamente, é a resposta às mudanças nas condições de mercado e às necessidades dos clientes. Na era das comunidades, as empresas praticantes estarão entre as primeiras a acessar o amplo conhecimento. Dessa forma, elas fornecem soluções melhores, mais rápidas e mais acessíveis do que seus concorrentes.

Para partir para o Open Innovation, cada empresa possui requisitos individuais que dependem, por exemplo, de unidades de mercado, B2B ou B2C, indústria em ritmo acelerado ou complexidade das tecnologias e competências aplicadas.

Mas o que todas têm em comum é a base necessária da estratégia e cultura de inovação aberta. Para estar entre as melhores, é necessário uma estratégia clara. Além disso, uma cultura que permita e promova a abertura do processo de inovação.

Uma estratégia de Inovação Aberta define os objetivos e a orientação das atividades. As seguintes perguntas devem ser claramente respondidas:

  • O que você deseja alcançar com o Open Innovation?
  • Quais objetivos corporativos o Open Innovation atende?
  • Como operar a Inovação Aberta, por exemplo, inside-out e/ou outside-in?
  • Quais oportunidades você usaria e por quê?

Muitas corporações não sabem por onde começar, o que fazer e como iniciar esse processo de inovação. Uma das alternativas em casos como esses é se aliar e estar presente em centros de inovação. Dessa forma, a marca está se vinculando com as iniciativas inovadoras que aquele espaço está fomentando.

Por exemplo, negócios como HDI Seguros e KPMG são mantenedores e co-fundadores do centro de inovação Distrito Fintech. Assim aliam as marcas às atividades do espaço.

Ao fazer parte de um programa de mantenedores de um centro de inovação, a empresa está conectada ao ecossistema de inovação. O espaço fomenta a inovação aberta. Ajuda a empresa a relacionar-se com startups, grandes empresas e investidores para executar projetos diferenciados.